14 de abril de 2021

Setor público tem superavit de R$ 12,7 bi

As contas da União, Estados e municípios registraram no mês de novembro superavit de R$ 12,71 bilhões, de acordo com dados divulgados na quarta-feira pelo Banco Central.

As contas da União, Estados e municípios registraram no mês de novembro superavit de R$ 12,71 bilhões, de acordo com dados divulgados na quarta-feira pelo Banco Central.
Em outubro, o setor público teve superavit de R$ 13,81 bilhões, o melhor resultado para um mês de outubro desde 2001.
Em novembro, o setor público pagou R$ 15,13 bilhões em juros. Descontado esse valor, as contas públicas registraram deficit nominal de R$ 2,41 bilhões no mês.
Entre janeiro e novembro, a economia para pagar os juros da dívida -o chamado superavit primário- foi de R$ 64,24 bilhões, o que corresponde a 2,25% do PIB (Produto Interno Bruto). Nos últimos 12 meses, o superavit foi de R$ 43,58 bilhões, o que corresponde a 1,41% do PIB.
A meta para este ano é de 2,5%, mas o governo poderá abater até 0,94 ponto percentual do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e PPI (Programa Piloto de Investimentos).
Os Estados e municípios tiveram superavit de R$ 21,86 bilhões entre janeiro e novembro, contra R$ 31,28 bilhões no mesmo período de 2008.
As estatais registraram superavit de R$ 1,77 bilhão em novembro. No mês de outubro, esse superavit foi de R$ 419 milhões.
Nos 11 primeiros meses de 2009, o governo central acumulou superavit primário de R$ 40,61 bilhões, contra R$ 92,06 bilhões no mesmo período de 2008.
A dívida líquida do setor público atingiu em novembro R$ 1,33 trilhão, o que equivale a 43% do PIB (Produto Interno Bruto). Esse valor é 0,4 p.p. menor que o registrado em outubro -quando estava em 43,4% após revisão (a leitura anterior era de 44,8%).

Cumprimento da meta

O governo espera fechar o ano com um superavit primário de 2% do PIB (Produto Interno Bruto), cumprindo a previsão para 2009, segundo Altamir Lopes, chefe do Departamento Econômico do Banco Central.
O cumprimento da meta, de 2,5%, se daria com um ajuste de 0,5% relativo a investimentos. Para 2010, o governo projeta um piso de superavit primário de 2,62%. Com investimentos, o governo conta com um resultado de 3,3%.
Para Lopes, os resultados do mês passado, divulgados ontem, são extremamente positivos, já que todas as esferas do governo foram superavitárias, até mesmo as estatais, que tiveram o melhor resultado da série histórica.
O governo central também teve o melhor resultado para um mês de novembro desde o mês de dezembro de 2001, início da série.
Para o governo, é um quadro de recuperação, após a piora expressiva em 2009 devido à crise econômica.
De acordo com Altamir Lopes, essa melhora foi calcada no comprometimento de todas as esferas do governo com a saúde fiscal, com menores dispêndios e, sobretudo, maior arrecadação.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email