Renan quer concessões para oposição

A reunião entre Lula e Renan ainda não está agendada oficialmente, mas o senador já conversou na quinta-feira passada com o secretário particular do presidente, Gilberto Carvalho, e manifestou seu desejo de encontrar o petista. Lula concordou e o encontro pode até ocorrer hoje.
O presidente do Senado sabe que, nesse momento, o que interessa a Lula é aprovar o imposto do cheque, que deve render no próximo ano R$ 39 bilhões aos cofres públicos. Por isso, dirá a Lula que tem condições de conduzir o processo de votação, afastando qualquer possibilidade de se licenciar.
Renan confidenciou a amigos que segue a máxima de que a política é a arte de ocupar espaços. Traduzindo: se ele se licenciar, teme que outros senadores ocupem seu espaço, inviabilizando seu retorno à presidência do Senado. Além disso receia que, longe da Casa, fique mais difícil de se defender dos dois processos que ainda tramitam no Conselho de Ética. Renan não afasta, porém, a possibilidade de tirar uns dias de férias, talvez duas semanas. Seus amigos e familiares têm insistido nessa saída para que se crie um clima propício no Senado para apaziguar os ânimos.

Entre seus aliados, por sinal, há uma expectativa que Renan tome essa decisão antes de se reunir com Lula, informando o presidente de sua disposição de tirar uns dias para descansar. Tem aliado que já ventila até a data para o início desse período de férias: quinta-feira.
Na conversa com Lula, Renan dirá que alguns senadores da oposição estão dispostos a votar a favor da CPMF, mas para isso precisam de algum aceno do governo para justificar sua posição. O governo quer aprovar quarta-feira, em primeiro turno na Câmara, a emenda que prorroga o imposto do cheque até 2011. Os articuladores do governo estavam pedindo ajuda aos governadores para garantir quórum na Casa -são necessários pelo menos 308 votos de deputados.
No Senado, a previsão do governo é que a emenda entre em pauta no plenário em meados de outubro. Renan, segundo auxiliares, poderia até tirar alguns de férias e retornaria a tempo de comandar o processo de votação da emenda.
Até o final da tarde de hoje o encontro de Renan com Lula não estava agendado oficialmente. O presidente chegou na noite de ontem a Brasília, vindo de Madri, última etapa de seu giro pela Europa. Deve passar a manhã no Palácio da Alvorada. Não está descartada uma ida de Renan até lá.
O Planalto trata como uma “etapa natural” o encontro de Lula e Renan, após a absolvição do peemedebista no plenário do Senado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email