Rede de voluntários busca abrigo para cães resgatados em Educandos

A rede de voluntários e entidades que se uniu na recuperação dos cães e gatos resgatados após o incêndio no dia 17 de dezembro no bairro Educandos ainda busca novos lares para alguns dos animais salvos no local. Os resgatadores querem transformar a realidade desses animais retirados do ambiente hostil que se transformou o bairro que foi durante um tempo o seu lar. 

Aproximdamente 130 animais foram resgatados da tragédia, graças a ação voluntária de ativistas formais e informais que se uniram a veterináios numa operação de guerra para trazer esperança aos resgatados. Segundo estimativa dada pelos Bombeiros, segundo os voluntários, aproximadamente 200 animais perderam a vida na tragédia.

Exótica, Manchinha aguarda um tutor amoroso

A maioria dos animais resgatados já encontrou um novo lar, graças a força das redes sociais. A rede de voluntário criou perfis nas redes sociais (@sosanimaisdoeducandos) e conseguiu forte adesão à campanha de doação em busca de tutores responsáveis. Mas aproximadamente 30 animais ainda aguardam novos lares. 

No domingo foi realizada a primeira feira de adoção desses animais no posto P10. No evento, cinco gatos encontraram um novo lar. A voluntária Izabelle Soares explica que todo suporte aos animais resgatados vem sendo dado graças à disposição dos voluntários e força das redes sociais para disseminar a união em torno da causa. 

Pandora encontrou um novo lar logo após o evento

Em meio a muitas histórias bonitas de reinserção em novos lares, também há histórias tristes de animais que não conseguiram sobreviver e outros animais que ainda aguardam a chance de viver uma nova história segundo a ativista Nete Moura. Mas a rede não desiste nunca e vai em busca de uma nova chance para animais como o cão "Educandos", um vira-lata idoso que provavelmente vivia pelas ruas do bairro. 

A deputada estadual Joana Darc Protetora dos Animais também participa da rede como voluntária. Ela comemora o crescimento da força de voluntários da causa animal, mas lamenta a dificuldade de implantar políticas públicas em defesa de cães e gatos, como um abrigo temporário e um hospital público. "Infelizmente muitos projetos dependem de vontade política do Poder Executivo, mas a minha parte faço com proposituras de políticas públicas para essa demanda", explicou. 

 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email