Projeto chinês avança na ZFM

A direção da GMCC, um dos maiores fabricantes do mundo de compressores, iniciou ontem em Manaus, uma maratona de negociações para definir a implantação de uma nova fábrica no PIM (Polo Industrial de Manaus). Resultado de uma missão empresarial na China, promovida pela Secretaria Executiva Adjunta de Políticas Setoriais da Seplan, em junho deste ano, as articulações buscam a implementação de um projeto industrial para a fabricação de compressores que pode gerar cerca de 580 novos empregos e investimentos estimados em US$ 35 milhões.
Acompanhado pelo secretário executivo adjunto de Políticas Setoriais Appio Tolentino, os executivos da missão da multinacional chinesa liderada por Looson Liang, estiveram reunidos à tarde com o superintendente da Zona Franca de Manaus Gustavo Igrejas, depois de reunirem-se pela parte da manhã com a equipe técnica da Seplan. “O grupo está se organizando para atender as exigências legais que permitam a instalação de uma planta industrial no PIM”, resumiu Tolentino.
O diferencial do projeto da GMCC, destacou o secretário da Seplan, é que estabelece uma rede agregada de fornecedores, um cluster, um padrão de industrialização que garante o fortalecimento do setor com geração de emprego e renda. O grupo discute a execução de etapas como estamparia, corte e soldagem, entre outros.
A GMCC integra o Midea Carrier Group, um dos três maiores maiores fabricantes mundiais de condicionadores de ar, compressores e motores, além de produtos da linha branca. Em Manaus, o grupo já opera com a Climazon-Carrier. A GMCC desenvolve tecnologia própria e sua principal fábrica está instalada em Shunfengshan, na cidade de Foshan, província de Guangdong, China.

Atração de investimentos

O governo do Estado por meio da Seplan vem priorizando a atração de novos investimentos com vistas ao fortalecimento do parque industrial da ZFM, destacou Tolentino. A campanha de atração de novos investimentos assumida pela Seaps (Secretaria de Adjunta de Políticas Setoriais) começou em maio, com a busca de possíveis parceiros em um dos centros industriais mais efervescentes da atualidade, a China. A missão começou a jornada pela província de Guangdong, na cidade de Fosham, na região sul, e terminou em Beijin, região sudeste.
“Nossa tarefa foi a de levar a potenciais investidores as possibilidade de bons negócios no polo industrial de Manaus, desconhecido de muitos grupos da China”, destacou Tolentino, que chefiou a missão.
O secretário disse que o balanço da missão superou as expectativas. “Esses mercados emergentes são um dos caminhos para a expansão do PIM”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email