18 de abril de 2021

Profissão: Arquitetura de Software

Impulsionadas pelo uso da tecnologia, surgem no mercado novas profissões, principalmente na área de TI (Tecnologia da Informação), entre elas, a Arquitetura de Software

Impulsionadas pelo uso da tecnologia, surgem no mercado novas profissões, principalmente na área de TI (Tecnologia da Informação), entre elas, a Arquitetura de Software. De acordo com o líder de Arquitetura de Software do departamento de Tecnologia da Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica), Moisés Simões, a área de Arquitetura de Software ganhou uma ênfase maior no cenário mundial a partir da década de 90. “Neste período os processos de projeto de software necessitaram de reavaliação para considerar contextos mais amplos, por força dos grandes projetos de sistemas, especialmente pela evolução das infraestruturas de hardware que permitiu o desenvolvimento de grandes sistemas distribuídos”, explica o especialista.
Para atuar na área é necessário que o profissional seja formado em qualquer curso de TI, como por exemplo, Engenharia da Computação. Segundo Moisés, a Fucapi está com um projeto para implantar uma nova pós-graduação em Arquitetura de Software, com professores dos grandes centros especializados, vindos de São Paulo e Minas Gerais. “Nos cursos regulares e cursos de pós também existem disciplinas que tratam mais superficialmente a matéria”, destacou.
Durante as aulas, que são planejadas dentro de uma sequência cronológica de conteúdo, o aluno tem a oportunidade de conhecer a rotina de projetos de desenvolvimento de software. “Com isso, apresentamos a eles de forma prática e objetiva o conteúdo, simulando o dia a dia de uma equipe de projeto”, salientou o arquiteto de software pleno e professor na Fucapi, Márcio Palheta.

O que ele faz?

O arquiteto de software atua em projetos desde a fase de concepção da solução ao lado do gerente de projetos. Ele geralmente é o líder técnico do projeto trabalhando também ao lado do analista de sistemas para avaliar os requisitos nos aspectos da infraestrutura e arquitetura das soluções, contribuindo na análise de risco e estratégias de mitigação dos mesmos, bem como na estratégia para formação da equipe e definição da tecnologia que será utilizada. “É o especialista em soluções técnicas para o desenvolvimento de sistemas, o que exige uma visão sistêmica madura e aguçada, e deve ficar responsável pelas decisões no nível decisório mais alto”, ressalta Moisés, que aponta também que a cidade é muito carente deste profissional. “Há espaço nas principais fundações e indústrias com sistemas em produção de grande criticidade”, comenta Moisés Simões.
Ele afirma, há muitos profissionais atuando hoje no mercado de trabalho, mas existe uma grande demanda deste na capital amazonense. “Existem inúmeros campos de atuação para um arquiteto, ele poderá ser especialista em tecnologias Microsoft ou mesmo na família de produtos Oracle, como arquitetos Java, que são mais comumente encontrados e é o profissional que a Fucapi atualmente trabalha”, disse o líder de Arquitetura de Software da Fundação, que também ressalta a necessidade desse profissional possuir vasta experiência, entre os requisitos básicos está o de líder técnico, por exemplo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email