Previsão de inflação cai pela quarta semana seguida, segundo BC

Os economistas ouvidos pela pesquisa semanal do Banco Central reduziram, pela quarta semana seguida, a previsão para a inflação em 2008. Também aumentaram as apostas de que a alta dos juros vai frear o crescimento da economia brasileira em 2009.
A expectativa para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) neste ano, que serve como meta de inflação, caiu de 6,44% para 6,34%. Há quatro semanas, estava em 6,58%. Se confirmado, o indicador ficaria abaixo do teto da meta de inflação para esse ano, que é de 6,50% (meta de 4,5% com dois pontos percentuais de tolerância tanto para cima como para baixo).
A estimativa para a inflação para os próximos 12 meses também recuou, de 5,31% para 5,25%. Foi mantida ainda a previsão para o IPCA em 2009 (5%).
Essas previsões vêm caindo desde que o Banco Central decidiu intensificar o ritmo de aumento da taxa básica de juros, a Selic. Desde o início do ano, a Selic já subiu de 11,25% para 13% ao ano. No final de julho, o BC promoveu o maior aumento de juros desde o início do governo Lula, numa tentativa de trazer a inflação de volta para o centro da meta no próximo ano.
Em relação aos juros, os economistas esperam que a taxa básica (Selic) termine 2008 em 14,75% ao ano, mesma previsão da semana passada. Para a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do Bano Central) de setembro, a aposta é de uma alta de juros para 13,75% ao ano.

Crescimento da economia

A expectativa do mercado financeiro é que os juros mais altos também tenham reflexo no crescimento da economia no próximo ano.
Os economistas que participam da pesquisa do BC reduziram as expectativas de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) no próximo ano de 3,70% para 3,65%. Para 2008, foi mantida a previsão de 4,8%.
Em relação aos outros índices de inflação, também houve queda nas previsões para 2008. A expectativa do mercado para o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna) caiu de 10,86% para 10,38%; e o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) teve a previsão reduzida de 10,96% para 10,73%. A expectativa para o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômica) caiu de 6,48% para 6,44%. Para 2009, a previsão para o IGP-M ficou estável em 5,50%. A do IGP-DI caiu de 5,32% para 5,30%. Para o IPC-Fipe, passou de 4,64% para 4,67%.

Outros indicadores

A estimativa para o dólar norte-americano registrou alta de de R$ 1,61 para R$ 1,62 no final deste ano. Para dezembro de 2009, a previsão ficou em R$ 1,72.
A estimativa para o saldo da balança comercial em 2008 ficou estável em US$ 23.3 bilhões. Já para 2009, teve queda de US$ 15 bilhões para US$ 14.75 bilhões.
A expectativa para o déficit em conta corrente neste ano subiu de US$ 25 bilhões para US$ 25.5 bilhões e aumentou de US$ 33,42 bilhões para US$ 34.80 bilhões em 2009.Caíram as expectativas de investimentos estrangeiros diretos de US$ 34.65 bilhões para US$ 34.50 bilhões (2008).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email