16 de abril de 2021

Prévia da inflação oficial registra alta de 0,31% em setembro

IPCA-15 de setembro deste ano é superior ao resgistrado no mesmo período do ano passado, quando a inflação foi de 0,19%

O IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15), que é a prévia da inflação oficial, chegou a 0,31% neste mês. Em agosto, o índice havia registrado deflação de 0,05%. O IPCA-15 de setembro deste ano é também superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando a inflação foi de 0,19%.
Dados divulgados ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram inflação em todos os grupos de despesa pesquisados, com destaque para os alimentos, que foram os principais responsáveis pela alta. Em agosto, os alimentos haviam registrado queda de 0,68% nos preços. Já em setembro, foi registrada uma alta de 0,30%. O aumento de 3,40% no preço das carnes foi o que mais contribuiu para a alta nos alimentos, seguido dos reajustes no valor do óleo de soja (5,08%), açúcar cristal (4,83%), das frutas (3,17%), da farinha de trigo (2,51%) e do pão francês (2,11%).
Outro grupo que teve grande influência sobre a prévia da inflação de setembro foi o de transportes, que registrou uma alta de 0,33% nos preços, com destaque para o aumento da gasolina (0,77%), do etanol (2,08%) e das passagens aéreas (7,56%).
Os demais grupos de despesa registraram os seguintes índices de inflação: vestuário (0,50%), saúde e cuidados pessoais (0,40%), despesas pessoais (0,34%), habitação (0,32%), artigos de residência (0,18%), educação (0,14%) e comunicação (0,08%). O IPCA-15 registra alta acumulada de 0,17% no trimestre (IPCA-E), de 3,53% no ano e de 4,57% nos últimos 12 meses.

Fundo Soberano está “prontinho”

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que o Fundo Soberano Nacional está “prontinho” para comprar dólares, mas não quis antecipar quando a operação será iniciada. Segundo Mantega, o Banco do Brasil ainda não começou a comprar a moeda estrangeira. “O Fundo Soberano agora está pronto para ter atuação na área cambial. Está habilitado para entrar em leilões de compra de dólares, se for necessário”, disse.
Questionado sobre a necessidade de compra de dólares, Mantega disse que não responderia. “Temos de avaliar as condições, mas ele não começou a atuar ainda.” O ministro disse que não há referência de cotação da moeda para a operação. “O dólar é flutuante e depende da valorização, desvalorização, uma série de fatores.”
A Fazenda divulgou uma nota ontem informando que o Fundo Soberano passaria a ser autorizado a comprar dólar sem limitações como forma de conter a valorização do real.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email