Pilates:saúde física e mental

Criada na década de 1920, o Pilates surgiu para aliar disciplina física e mental, possibilitando alongar e fortalecer o corpo de forma completa. A prática é considerada como ótima alternativa para quem quer fugir das atividades realizadas em academia, por proporcionar, entre outros benefícios, o fortalecimento da musculatura abdominal, ajudando a melhorar o alinhamento postural, que mantém a coluna vertebral flexível e resistente.
“É uma técnica que trabalha corpo e mente de forma global e integrada. Sendo desenvolvido para melhorar a respiração, equilíbrio, flexibilidade, resistência e controle. Além de alinhar a postura, o pilates alivia dores crônicas, auxilia na redução do estresse e ajuda no alongamento, tonificação e definição dos músculos”, explica a fisioterapeuta Rebeca Nascimento.
As aulas podem ser praticadas por pessoas de todas as faixas etárias e gêneros. “É recomendado para pessoas acima dos 12 anos, atletas, sedentários, idosos, homens, mulheres e até grávidas”, orienta Rebeca. Por não existir contraindicação total, o pilates deve ser praticado de acordo com a necessidade de cada um.
“Há precauções que devem ser respeitadas e necessitam de autorização médica e avaliação fisioterapêutica bem realizada. Como no caso dos cardiopatas, das gestantes, de pessoas com disfunções neurológicas/cognitivas, entre outras. Os exercícios de baixo impacto e poucas repetições resultam em menos desgaste das articulações e músculos, tornando-se eficazes”, comenta a fisioterapeuta Marcela Pinheiro.

Essência da técnica
Os princípios do pilates são baseados em respiração, controle, concentração, precisão, centro de força e fluidez. Segundo os especialistas, esses conceitos devem ser respeitados para manter a essência da técnica.
Idealizado por Joseph, o pilates tradicional possui os métodos com aparelhos e em solo. Em ambos, deve se trabalhar os músculos do abdome, da lombar e dos glúteos. A técnica no solo praticado em colchonete, utiliza a força do próprio corpo e diversos acessórios para a realização dos movimentos.
“O método possui uma lista de movimentos que são inseridos gradativamente a cada aula, onde para potencializar e avançar durante os treinos é possível a utilização de acessórios livres como bolas, faixas elásticas, anel de pilates, cabos, bambolês, rolos de espuma, pesos, entre outros”, revela Marcela. Já a versão mais tradicional, a técnica com aparelhos é amplamente utilizada para recuperar lesões musculares e fortalecer o corpo. Também pode ser praticado em oito aparelhos específicos de mola.
Desde que seja acompanhado por profissionais, a técnica pode ser praticada individualmente ou em grupos. “Na verdade, recomenda-se no máximo dois alunos na sala. Isso porque o profissional precisa dar atenção total e saber qual a necessidade e limites de cada um”, esclarece Rebeca. As aulas devem ser de duas a três vezes por semana.
Por ser uma atividade física, o pilates proporciona perda calórica, devendo ser praticado por quem busca boa postura, músculos flexíveis, melhoramento na respiração, na circulação sanguínea e na qualidade de vida. “Muitas pessoas buscam o pilates para emagrecer e de fato, pode ajudar na perda de peso, mas não é o foco. Recomenda-se associar a prática com uma alimentação balanceada direcionada por um especialista”, orienta Marcela.
Para quem quer começar a praticar a técnica, deve-se ficar atento a alguns critérios, entre eles, se a clínica possui os equipamentos necessários. “Procure informações do local e observe a qualidade dos profissionais. Veja se nas aulas, há um professor para cada dois alunos, converse com os outros alunos e avalie os prós e contra”, sentencia Rebeca.

Experiência própria

Há três anos adepta do pilates, Maria Holanda, de 66 anos, encontrou na técnica uma nova fonte de juventude. Simpática e bem-disposta, atividade refletiu positivamente em seu cotidiano. “Minha vida mudou por completo, me sinto melhor e cheia de energia. Não sinto dores nas costas, nas articulações dos ossos e nem em outras partes do corpo”, comemora. Ela conta que faz adaptações das atividades da técnica que aprendeu no projeto Unati/UEA em casa. “Além de alongar, faço agachamento, uso pesos de um quilo nas pernas e braços, pulo corda e utilizo o cabo da vassoura para fazer séries de exercícios. Tudo isso para manter a boa forma”.
Outra praticante do método de Joseph Pilates, Maria Elizabeth Azevedo de 58 anos reforça que a técnica melhorou sua qualidade de vida. Com poucos meses, a dona de casa eliminou constantes problemas com a coluna e pés. “Nas dez primeiras aulas já senti a diferença. Os desconfortos nas costas e no joanete pararam, além disso, consegui reeducar minha postura para andar reta e evitar dores”, celebra.

Condicionamento físico e mental

Nascido no fim do século 19, o alemão Joseph Hubertus Pilates foi uma criança asmática, franzina e com limitações físicas severas. Buscando melhorar a própria qualidade de vida, estudou o corpo humano e criou uma série de exercícios que foram testados nos soldados ingleses feridos durante a Primeira Guerra Mundial. Depois da guerra, ele voltou à Alemanha como preparador físico e divulgou seu método. Mas somente em 1926, mudou-se para os Estados Unidos, onde aperfeiçoou seu método de condicionamento físico e mental.

O QUÊ? Fisioterapeuta Rebeca Nascimento
INFORMAÇÕES:(92) 98103-2028
O QUÊ? Fisioterapeuta Marcela Pinheiro
INFORMAÇÕES:(92) 98134-0627

O QUÊ?Espaço Fox
ONDE? Av. Carlota Joaquina nº 12 – Parque 10
INFORMAÇÕES:(92) 3081-9113 e e-mail: [email protected]

O QUÊ?Art Pilates Studio
ONDE?Av. Álvaro Maia, 1.115 – Praça 14
INFORMAÇÕES: artpilatesstudio.com.br

O QUÊ? Deltacorpus Espaço Pilates
ONDE? Av. Rio Madeira, 758 – Conj. Vieiralves – Nossa Senhora das Graças
INFORMAÇÕES:(92) 3584-3820 / 3584-3929

O QUÊ? FisioVerom Pilates
ONDE? Rua Emílio Moreira 1.451, Praça 14 de Janeiro
INFORMAÇÕES:
(92) 98220-4240 / 99145-9148

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email