Pfizer promove ampliação da linha de dor e inflamação no país

A Pfizer acaba de lançar no Brasil o Lyrica (pregabalina), medicamento mais prescrito nos Estados Unidos para tratamento da fibromialgia, doença que aumenta a sensibilidade dos pacientes de tal maneira que, para eles, até um simples carinho dói.
O medicamento foi o primeiro desenvolvido especificamente para o tratamento da dor crônica com componente neuropático e registrou, em 2008, faturamento de US$ 1.4 bilhão no mercado americano, somando US$ 2.6 bilhões em vendas no mundo no ano passado – um crescimento de 41% em relação ao ano anterior.
Lyrica já foi utilizado por mais de 1 milhão de pacientes desde seu lançamento, em 2004, e também é indicado para dor neuropática, doença que ocorre quando há problemas no caminho nervoso percorrido pelos sinais dolorosos. É como se um fio elétrico que transmite a dor entrasse em curto circuito. No Brasil, a dor neuropática e a fibromialgia interferem de maneira significativa na vida de quase 9 milhões de brasileiros, fazendo da rotina um sofrimento.
“Desde que chegou ao mercado, o faturamento mundial obtido com Lyrica foi de US$ 7 bilhões, somando 4.9 bilhões de cápsulas vendidas”, apontou o diretor da unidade de negócios de cuidados primários da Pfizer, Adilson Montaneira. O bom desempenho é atribuído a diferenciais importantes de Lyrica, como a ação rápida (diminui a dor já na primeira semana de tratamento) e eficácia sustentada, pois permanece eficaz mesmo quando utilizado continuamente.
Além disso, ele é indicado pelas principais sociedades médicas para tratamento da dor neuropática e também da fibromialgia, sendo a primeira molécula aprovada nos Estados Unidos para tratar especificamente a fibromialgia.
Comercializado em 93 paí­ses, Lyrica é líder em vendas no mercado de medicamentos para a dor neuropática na América Latina. Em 2008, a marca apresentou um crescimento de 11,5% no market share latino-americano e, em 2009, até o mês de maio o crescimento foi de 11,8%. “Devido aos bons números conquistados em outros países, estamos muito confiantes que obteremos bons resultados com Lyrica também no mercado brasileiro”, projetou Montaneira.

Reforço da marca

Lyrica reforça a atuação da Pfizer na área de dor e inflamação no Brasil, já composta por outros medicamentos: Celebra, Bextra, Ponstan, Tramal e Feldene – que representam 8,7% do faturamento total da Pfizer Brasil.
Além da linha disponível no mercado, a companhia possui 16 moléculas em pesquisa e desenvolvimento para o tratamento de dor e inflamação, entre elas para doenças como artrite reumatóide e osteoartrite ou diferentes tipos de dor, como a aguda e a pós-operatória.
Anualmente, a empresa investe cerca de US$ 8 bilhões em pesquisa e também no desenvolvimento de novos medicamentos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email