Pedidos para receber auxílio-desemprego atingem menor nível

O número de pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA caiu em 33 mil na semana encerrada no último dia 3, para um total de 521 mil solicitações. Trata-se do menor nível desde janeiro deste ano. Os dados foram divulgados pelo Departamento do Trabalho.
Na semana imediatamente anterior, o total de pedidos iniciais ficou em 554 mil após revisão -a leitura inicial era de 551 mil. A média quadrissemanal, que atenua as volatilidades das leituras semanais, ficou em 539.750, um recuo de 9.000 em relação à média imediatamente anterior, 548.750.
O número de pessoas que recebem o benefício há pelo menos duas semanas ficou em 6,040 milhões na semana encerrada em 26 de setembro (data da última leitura disponível), o que representa uma queda de 72 mil pedidos em relação ao dado anterior, 6,112 milhões.
A economia americana perdeu 263 mil postos de trabalho em setembro, segundo dados do Departamento do Trabalho. O dado supera em muito a expectativa dos analistas, que esperavam um corte de cerca de 140 mil postos de trabalho no país no mês passado. Já a taxa de desemprego chegou a 9,8% e continua como a maior desde junho de 1983, quando estava em 10,1%.

Crescem as vendas no atacado

As vendas no atacado nos Estados Unidos tiveram um crescimento de 1% em agosto, maior avanço desde junho de 2008 e o quinto mês seguido de ganho. Já os estoques no atacado no país caíram 1,3%, mais que o 1% previsto. Os dados foram divulgados na quinta-feira pelo Departamento do Comércio.
A expectativa dos analistas é que, com o avanço nas vendas, os atacadistas façam novas encomendas ao setor manufatureiro para recompor seus estoques, o que daria impulso à atividade econômica americana.
A queda nos estoques marcam o 12º mês seguido de redução, maior série desde o início dos registros do departamento nessa categoria, em 1992. O recorde anterior era de nove meses seguidos, durante a recessão de 2001 nos Estados Unidos.
Os estoques no atacado se referem aos bens mantidos pelos distribuidores, que em geral compram os produtos diretamente das fábricas e revendem a varejistas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email