Participação feminina produz mudanças na gestão

As pesquisas sobre quem ocupa os cargos executivos nas maiores empresas no Brasil ainda mostram o perfil de um profissional do sexo masculino, branco, entre 45 e 50 anos e com nível superior. Todavia, a participação feminina na alta direção vem crescendo paulatinamente. Se esse número ainda não consegue repercutir a real participação da mulher na sociedade, ele já consegue produzir mudanças na gestão, com a introdução de visão de negócio e estilo diferentes. Essas mudanças trazem benefícios para as empresas, com reflexos positivos também para a sociedade. Mas, o que fazer para aumentar a liderança feminina nas empresa? Como aproveitar o melhor das competências masculinas e femininas para avançar a gestão sustentável?
Essas são algumas das perguntas que devem aflorar durante a atividade “Mulheres: os Estilos de Liderança e os Benefícios Duradouros para as Empresas e para a Sociedade”, que faz parte do módulo “Conversa de Líderes”, parceria entre o Instituto Ethos e o Banco Santander que vai mostrar como os principais líderes de empresas brasileiras estão unindo teoria e prática para construir negócios sustentáveis e responsáveis.
A atividade mencionada será realizada no dia 3 de setembro, das 14h às 15h40, sob o comando de Sônia Regina Hess de Souza, presidente da Dudalina. Uma das maiores fabricantes de camisas masculinas e femininas da América Latina, com exportações para todos os continentes, a Dudalina tem uma gestão profissionalizada, mas continua sendo uma empresa familiar. Sônia Hess de Souza assumiu a presidência da empresa em 2003 e exerce um modelo de comando que define como gestão compartilhada, pois não centraliza as decisões, faz questão de participar de todas elas e está sempre perto dos funcionários, principalmente das costureiras que perfazem a maior parte dos dois mil trabalhadores diretos da companhia.
A Conferência Ethos 2013, será realizada entre os dias 3 e 5 de setembro e terá como tema “Negócios sustentáveis e responsáveis: oportunidades para as empresas e para o Brasil”. A programação está estruturada para testar quão lucrativos podem ser os negócios sustentáveis.
Além de oferecer os tradicionais debates, palestras e discussões conceituais, a conferência terá uma perspectiva pragmática ao tratar das temáticas de sustentabilidade aplicando-as imediatamente em modelagens de negócios sustentáveis. Em seu módulo central, a Conferência discutirá “Negócios Sustentáveis” em suas diversas facetas, enquanto os demais módulos oferecerão atividades em temas complementares, como “Conversa de Líderes”, “Conhecimento e Tecnologia”, “Negócios e Tecnologia”, “Negócios Brasileiros: Conexões Transnacionais” e “Risco e Oportunidade”. A novidade são os módulos de análises de casos e de modelos de negócios sustentáveis. Os melhores casos e projetos inscritos terão mentoria especializada, reconhecimento e divulgação.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email