Movimento reúne 5.000 pessoas na praça da Sé, segundo OAB-SP

A entidade lidera o movimento em busca dos direitos dos brasileiros.
Com a presença de artistas e faixas contra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o movimento realizou um ato em homenagem às vítimas do acidente da TAM, denominado “Ato Cívico e Culto Ecumênico Inter-Religioso”.
Entres os participantes do evento, que ocorreu um mês após o acidente com o Airbus-A320, estiveram os cantores Ivete Sangalo, Agnaldo Rayol e Daniela Mercury, além do ator Paulo Vilhena, da apresentadora Hebe Camargo e do nadador Fernando Scherer. Ivete e Agnaldo cantaram o Hino Nacional, enquanto as pessoas, da escadaria da igreja, gritavam “Fora Lula”.
Segundo o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, outros Estados também realizaram manifestações no dia de hoje.
O “Cansei” tem sofrido muitas críticas. O movimento foi classificado como “elitista” e “golpista” pela Executiva Nacional do PT, e criticado por parte da sociedade civil.
O presidente da Phillips, Paulo Zottolo, que apoiou o projeto desde o início, já se envolveu em uma discussão pública com o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), em defesa do “Cansei”.

Igreja não dá autorização

Programado para acontecer dentro da Catedral da Sé, o evento teve de ser transferido para a praça em frente à igreja porque os organizadores do evento não obtiveram a autorização para o uso do templo.
Na quinta-feira, o arcebispo d. Odilo Scherer disse que não havia autorizado o uso do templo nem tinha sido consultado sobre a possibilidade da realização do ato.
“Ele não veta o movimento e não há censura. Pedimos ao padre que administra a catedral e ele havia autorizado. Ia ser mais adequado fazer dentro da catedral. Não sendo possível, fizemos do lado de fora. Embora a catedral seja muito grande, ainda haveria espaço para tanta gente”, disse D’Urso.

Imprevistos no evento

Um grupo de 50 familiares das vítimas do acidente da TAM foi barrado por seguranças quando tentava subir no palco no início do evento. Só ao final do ato eles receberam permissão para ocupar o palco.
Segundo o presidente da OAB-SP, representantes dos familiares das vítimas já ocupavam o palco e o imprevisto só ocorreu por questão de organização, já que o palco estava lotado.
Já a cantora baiana Ivete Sangalo, cercada pela multidão, teve dificuldades para sair da praça da Sé.
Uma fã conseguiu passar o corredor de seguranças e foi derrubada por um deles. Ivete ajudou a garota a levantar.

Encaminhar proposta

D’Urso afirmou na sexta-feira que ainda não há data para o encaminhamento da proposta de projeto de lei a comissões da Câmara e do Senado que estão investigando o caos aéreo.
A entidade pedirá o aumento da indenização obrigatória a ser paga pelas companhias aéreas em caso de acidentes aéreos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email