Minc defende criação de fundo para preservação da Amazônia

De acordo com o ministro, o fundo será destinado a financiar políticas de preservação e desenvolvimento da Amazônia. Minc disse que irá à Alemanha conversar sobre a criação do fundo. Ele negou que a idéia amea-ce a soberania da região. “Somos soberanos, mas as contribuições de fora serão bem-vindas. Vamos nos relacionar com todos. A defesa da Amazônia é uma política de governo e continua-rá sendo”, afirmou Minc, depois de ser empossado em solenidade no Palácio do Planalto pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Segundo o ministro, em Bonn (Alemanha) conseguirá um empréstimo da ordem de US$ 100 milhões. De acordo com ele, os recursos privados e públicos em favor da Amazônia serão geridos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).
Ecoxiita
Evitando polemizar com o governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (MT-PR), a quem acusou de ser um dos principais empresários que devastam no país, Minc disse que participará da reunião dos governadores da Amazônia (que reúne os Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Pará, Acre, Rondônia, Roraima, Maranhão e Amapá).
A reunião, que será comandada pelo presidente Luiz Inácio, está marcada para sexta-feira em Belém (PA). Além de Minc também estará presente o ministro Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos), que é responsável pelo gerenciamento do PAS (Programa da Amazônia Sustentável).
“Sou um “ecoxiita’ contumaz”, afirmou Minc, definindo-se. “Teremos uma boa relação dentro das divergências”, disse ele, referindo-se à relação que terá com alguns governadores da Amazônia que pensam de forma diferente da sua. “Serei respeitoso, mas ser respeitoso não significa concordar com posições diferentes. Sou um ‘ecodesenvolvimentista’. Vamos continuar brigando (no bom sentido)” .

Lula defende mais rigidez

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o governo será rígido na fiscalização do cumprimento das leis que preservam o ambiente. Sem apontar nomes nem suspeitas, Lula destacou que a lei deve ser cumprida por todos: do presidente da República ao mais humilde dos brasileiros. Segundo ele, a política ambiental será a mesma, independentemente do ministro que estiver no comando do Meio Ambiente.
“A Marina Silva volta para o Senado, o Carlos Minc (ministro do Meio Ambiente) assume, mas a política ambiental é aquela que me fez ganhar as eleições. A lei será cumprida sempre”, afirmou o presidente, na posse de Minc. O comentário de Lula ocorre no momento em que o governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), mantém sua posição em defesa da ampliação de áreas de plantio, gerando críticas entre os ambientalistas que o acusam de estimular o desmatamento de regiões preservadas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email