17 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Mestre do terror gera bate-papo

Focado nas obras de Stephen King, o bate -papo “Cinema na estante: Stephen King e a Sétima Arte” realizado pelo site Cine Set debate as adaptações cinematográficas dos livros do mestre do terror. Com entrada gratuita, o evento pretende promover um debate sobre a obra do escritor Stephen King nas telonas. Ele é a mente responsável por livros que inspiraram filmes como “Carrie – A estranha” (1976), “O Iluminado” (1980) e “Cemitério Maldito” (1989). Neste ano, dois filmes baseados na obra de King chegam aos cinemas: “A Torre Negra” e “It – a Coisa”.

E foi essa proximidade de King com o cinema que deu o start para o tema, conta o crítico de cinema do Cine Set, Ivanildo Pereira. “A razão de fazermos esse evento sobre o King é que o nome dele está em alta atualmente por causa das adaptações mais recentes para o cinema com as grandes produções “A Torre Negra” (que vai estrear ainda esse mês no Brasil) e “IT”, o seriado de TV “Mr. Mercedes” e o filme da Netflix “Jogo Perigoso”, conta.

O debate mesmo sendo descontraído e aberto ao público não deixará de fora críticas a alguns filmes baseados nas obras de Stephen King. “São muitas adaptações, mesmo, tanto para cinema quanto para a TV. Claro que nem todas têm qualidade, aliás a maioria não, mas  há vários clássicos e bons trabalhos baseados na obra dele”, disse Pereira, que continua: “Sempre buscamos a participação da plateia nos nossos eventos e esse não vai ser diferente. Esperamos uma discussão informal, junto às pessoas que comparecerem, mas com conteúdo”, ressalta.

Uma das adaptações de King para o cinema é reconhecida como um dos maiores filmes de Stanley Kubrick, “O Iluminado” (1980). E ainda assim o autor disse não gostar do resultado. O debate irá abordar características de livro e filme, criando o ambiente para uma boa discussão, explica Pereira. “O Iluminado é um filme (e livro) que não pode ficar de fora de nenhuma discussão sobre Stephen King. E vamos recomendar que as pessoas façam as duas coisas, vejam o filme e leiam o livro, afinal as duas formas de arte não são excludentes”, afirma o crítico.

Ainda sobre “The Shining” (título original de “O Iluminado”), havia uma expectativa de que a continuação do livro, “Dr. Sono”, fosse levada as telas, o que alvoroçou fãs do mundo todo e também gerou debates acalorados sobre qualidade. Sobre o possível longa, Pereira comenta. “Que eu saiba, a produção ainda tá na fase de desenvolvimento, mas a última notícia desse projeto já tem alguns anos. Talvez já tenha sido posto na ‘geladeira’ hollywoodiana”, lamenta.

Motivos para debater King
Pereira conta que a acessibilidade dos temas e o apelo pop nas obras de Stephen King, o fazem ser tão requisitado pelo cinema e TV. “Acessibilidade dos temas é um fator que contribui para ele ser muito adaptado, e histórias de terror sempre são populares. Mas, acima de tudo, a escrita dele é muito cinematográfica, sempre é possível você “ver” a história dele e seus personagens enquanto lê. Isso facilita muito a transposição das páginas para as telas”, comenta o crítico.

A conversa se estende para outro escritor do estilo terror também considerado mestre, mas, menos conhecido que King, o dramaturgo britânico Clive Barker, que teve sua principal obra, “Hellraiser” transposta para o cinema em 1987. “Barker é pop, mas não tanto quanto King, e também deu azar: eu realmente acredito que a má qualidade das inúmeras sequências de Hellraiser acabou entravando outras adaptações dos trabalhos dele. Ainda assim, já foram produzidos alguns filmes interessantes baseados nos escritos dele, e o próprio Barker dirigiu dois longas”, conta Pereira.

Pouca representatividade no Brasil
Como crítico, Pereira não deixa de lado a pouca representatividade brasileira no terror, seja em livros ou filmes, mas aponta para um salto na produção. “O gênero sempre foi malvisto aqui, basta lembrarmos da figura do Zé do Caixão: muitas vezes desprezado no Brasil, mas idolatrado no exterior, e com razão, afinal foi um grande visionário do cinema. Porém, o terror vem dando uma ressurgida, em anos recentes tivemos uma boa produção de terror em curtas e longas-metragens”, critica.

Segundo Pereira, o Brasil é próprio para o terror. “Temos muitas lendas e nossa realidade é aterrorizante (risos), e ainda bem que mais e mais cineastas jovens vêm produzindo obras com zumbis, assassinatos, fantasmas e coisas do tipo. O terror, por não exigir uma grande produção, também serve de escola, muitos dos grandes nomes do cinema começaram nele. Esse também é um dos motivos de uma ressurgência do gênero aqui, é a possibilidade para muitos iniciarem carreiras, encerra.

O debate
Para guiar o bate-papo, o “Cinema na estante” trará como convidados Mário Bentes (jornalista, escritor e editor da Lendari), Tammy Rosas (do blog Circo Literário) e Ivanildo Pereira e Danilo Areosa, críticos do Cine Set especializados no gênero de terror. O evento também contará com sorteio de brindes da loja Piticas, ingressos de cinema e livros de Stephen King.

Na visão do crítico Ivanildo Pereira, a união de literatura e cinema que acontece a partir dos livros de Stephen King marcou o cinema. “A sua escrita é bastante cinematográfica e, com isso, ele criou momentos inesquecíveis que acabaram saindo das páginas para a tela do cinema”, avalia.

Além da nova adaptação de “It – A Coisa”, outros temas selecionados para a roda de conversa serão as adaptações de sucesso dos livros de King e os motivos de alguns se tornarem fracassos de público e crítica. Também serão abordados aqueles filmes que fogem do gênero do terror, como “Conta comigo” (1986) e “Um Sonho de Liberdade” (1994), e porque os livros de King se tornaram referência para o cinema.

O QUE? Roda de Conversa – “Cinema na Estante: Stephen King e a Sétima Arte”
QUANDO? Domingo (20) às 16h
ONDE? Saraiva Megastore do Manauara Shopping
INFORMAÇÕES? Entrada gratuita

Sobre o site Cine Set
O Cine Set (www.cineset.com.br) é o maior site especializado em cinema do Amazonas. Criado em 2012, ele reúne notícias e críticas dos principais lançamentos, além de abordar a produção audiovisual amazonense. Desde 2014, o Cine Set promove eventos como debates e cursos voltados para a formação de público interessado em cinema em Manaus. Para mais detalhes, acesse http://www.cineset.com.br/cinema-no-amazonas/eventos-do-cine-set/

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email