Mercado europeu é potencial consumidor do pirarucu

Uma comitiva de empresários, pesquisadores e professores do setor da indústria de secagem e salga do bacalhau em Portugal participou, na última quinta-feira, 26, de uma degustação do pirarucu do Amazonas, na Fazenda Águas Claras, quilômetro 63 da rodovia AM-070 (Iranduba-Manacapuru). A comitiva, proveniente da região da Aveiro, esteve no Amazonas a convite da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) que, por sua vez, delegou ao Sebrae/AM a tarefa de mostrar aos visitantes as potencialidades da pesca no Estado.
O Sebrae/AM desenvolve dois projetos voltados ao setor pesqueiro, um na região do Alto Solimões e o outro que abrange toda a região Norte – Projeto Estruturante do Pirarucu. O objetivo é gerar conhecimento para estimular e apoiar o desenvolvimento da produção, beneficiamento e comercialização do pirarucu.
“Escolhemos a Fazenda Águas Claras porque a propriedade é uma das unidades de observação vinculada ao projeto, onde estamos acompanhando e implementando novas práticas de cria, agregação de valor e inovação ao pirarucu”, disse o superintendente do Sebrae/AM, Nelson Rocha. Ainda de acordo com o diretor, a expectativa é de que os visitantes aprovem o produto e futuramente possam fazer negócios no Amazonas.
Para o empresário português Gonçalo Guedes Vaz, o pirarucu amazonense, do ponto de vista gastronômico, tem potencial para ser consumido no mercado europeu, já que a carne tem textura ideal e é livre de espinhas, atrativos que casam com a culinária da Europa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email