Mercado espera mais um corte na taxa Selic neste ano

Embora o Banco Central tenha dado sinais de que o processo de corte de juros possa ter chegado ao fim, os analistas do mercado financeiro mantiveram a aposta de que será feito mais uma redução na taxa Selic neste ano.
A expectativa é que a taxa básica irá cair para 11% na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que será realizada no próximo mês. Eles esperam ainda que os juros terminem o próximo ano em 10% ao ano.
A projeção faz parte do boletim Focus, divulgado semanalmente pela autoridade monetária. Na última reunião, o comitê reduziu a taxa Selic para 11,25% ao ano. A ata do encontro, divulgado na semana passada, afirma que os diretores cogitaram não cortar os juros e que o aquecimento da atividade econômica implicava em riscos para a trajetória da inflação. Sobre a inflação, o mercado realizou mais um ajuste para cima nas expectativas -quinta elevação seguida.

Para conter a inflação, o BC pode elevar taxas de juros ou cessar a redução da Selic

A projeção para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) passou de 3,99% para 4,01%. Para o ano que vem, a previsão foi mantida em 4%.
O centro da meta é de 4,5% do IPCA e é o Banco Central que tem a responsabilidade de fazer com que ela seja cumprida. Para conter a inflação, a autoridade monetária pode, por exemplo, aumentar as taxas de juros ou cessar o processo de redução da taxa Selic no mercado.
Já a expectativa para o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna) foi elevada de 4,80% para 5,01%. Já a do IGP-M (Índice Geral de Preços Mercado) passou de 4,35% para 4,85% neste ano. Para 2008, a previsão está em 4% e 4,03%, respectivamente.
O aumento das projeções para a inflação veio acompanhado de uma leve redução na projeção da expansão da economia brasileira.
A previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) caiu de 4,71% para 4,70%. Para 2008, ela foi reduzida de 4,40% para 4,33%.
Em relação à produção industrial, a aposta de crescimento para este ano está previsto para 4,94%, ante 4,94% do levantamento anterior.
A projeção para o superávit da balança comercial, que é o saldo positivo entre as exportações e importações, foi reduzida de US$ 42,3 bilhões para US$ 42 bilhões.
Os analistas de mercado mantiveram ainda a projeção sobre a cotação da divisa norte-americana, emtorno de R$ 1,90 no mês de dezembro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email