Lojistas procuram apoio para retomar atividades

Representantes de 88 empreendimentos comerciais buscam retornar às atividades no shopping da ZFM, depois do incêndio ocorrido em 2009

A luta para sanar uma dívida estimada em R$ 1.675 milhão com a Suframa e resgatar 88 lojistas à atividade comercial no Shopping Cecomiz levou à Alomiz (Associação dos Lojistas do Cecomiz) a buscar apoio político da Assembleia Legislativa. Segundo a presidente da Alomiz, Rosângela Laurindo de Lima, o problema, que já se arrasta há anos, agora está mais fácil de ser resolvido, a partir da união de todas as partes envolvidas no processo desde 2009, quando um incêndio destruiu o bloco B do Shopping.
Rosângela explicou aos deputados membros de uma Comissão Especial da Aleam, incumbida de intermediar a resolução do problema, que os entendimentos com o superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, avançaram de forma bastante positiva nas últimas semanas. No entanto, devido à complexidade do caso, o superintendente o encaminhou à esfera do Tribunal de Contas da União (TCU) para se manifestar.
“Acreditamos que o TCU será razoável com a gente e temos esperança de que tudo caminhe de modo favorável, pois a Alomiz está unida com os 88 sinistrados do incêndio de 2009, agora falamos a mesma língua”, destaca Rosângela. Os deputados Marcos Rotta (PMDB), Luiz Castro e Adjuto Afonso (PP) garantiram o apoio da Aleam às negociações no âmbito federal por meio da mobilização da bancada de parlamentares amazonenses no Congresso Nacional junto ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) para onde a questão deverá se arrastar em função do alto valor da dívida, acima de R$ 1 milhão.
“Já conversamos com o superintendente Thomaz Nogueira sobre o parcelamento da dívida superior a 1 milhão de reais. Ele foi muito compreensível e nos informou sobre duas propostas de parcelamento enviadas pela Alomiz”, informou ao Jornal do Commercio o deputado Marcos Rotta. Ele recorda que em 2009 os proprietários de lojas vítimas de um incêndio no bloco B, do Shopping Cecomiz, exigiram que Suframa, autarquia dona do prédio na Zona Sul de Manaus, se responsabilize pela reconstrução do bloco. O Cecomiz é o primeiro Shopping da cidade, um shopping que não cobra estacionamento e que abriga serviços importantes prestados pelo Banco do Brasil e Receita Federal, dentre outros.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email