Jornada de seminários têm inscrições abertas

A construção coletiva e a ­democratização do conhecimento são inicia­tivas que deverão pautar as ações da Jornada de Seminários Internacionais sobre o Desenvolvimento Amazônico, cujas inscrições foram abertas na última sexta-feira, 8. O evento está incluso no calendário de atividades da 4ª Fiam (Feira Internacional da Amazônia) –a ser realizada pela Suframa de 10 a 13 de setembro– e trará diversas palestras e debates a respeito de questões relacionadas à região amazônica.
Estão programados 16 seminários com temas como logística da região, ciência e tecnologia, meio ambiente, políticas públicas, entre outros. A Suframa prevê a participação de aproximadamente 2.500 pessoas entre empresários, técnicos públicos e privados, professores, estudantes e pesquisadores das diversas universidades da região. Cada seminário terá a participação de 100 a 150 pessoas, dependendo da programação instituída pela autarquia.
Para José Alberto Machado, coordenador-geral de estudos eco­nômicos e empresariais da autarquia, esse evento é um marco na história da cidade, porque possibilita que as inovações e os estudos desenvolvidos por empresas e instituições sejam disponibilizadas para a sociedade, saindo do âmbito reduzido desses órgãos. “Essas discussões serão divulgadas pela internet e nas publicações que produziremos após o evento. Essa é uma forma única de levar até a população aquilo que hoje não está ao seu alcance. É a preo­cupação em democratizar essas informações”, afirmou.
Entre os destaques do evento está o seminário de inovação tecnológica e segmentos industriais com singularidades estratégicas para a região, que terá a participação de diversos institutos de pesquisa, empresas e universidades. Ele identificará particularidades tecnológicas criadas para suprir necessidades características da região. “Essas invenções são únicas no mundo e foram motivadas pelas necessidades que temos na região. Após esse levantamento teremos noção do que é prioridade para investir”, disse Machado. O coordenador citou as redes robustas de comunicação na selva como exemplo.
Outra discussão está relacionada à Lei de Informática, que isenta de alguns impostos empresas e institutos de tecnologia beneficiadas por ela. Os êxitos alcançados por essas instituições e os planos para o futuro serão apresentados no seminário, e ele também pautará as políticas públicas para o segmento assim como o direcionamento para o volume de investimentos da Suframa e de outros órgãos públicos ou até mesmo privados.

Proteção à Amazônia

Conforme José Machado, um dos seminários de maior importância será o que debaterá “Alternativas para Proteger a Amazônia: Valoração e Instrumentos Econômicos Aplicados ao Meio Ambiente”. Além de identificar e discutir políticas de desenvolvimento e proteção da floresta, ao final será apresentado um relatório divulgando os níveis de preservação da floresta amazônica, parte dela como consequência das ações aplicadas pelo Pólo Industrial de Manaus. Esse relatório foi feito pelo Piatam e pelo Instituto Nokia, e confirmado por instituições de ensino da Áustria, dos Estados Unidos e da Venezuela.

Inscrições gratuitas

As inscrições para os seminários são gratuitas e podem ser feitas pela internet no sítio da Suframa (www.suframa.com.br/fiam), ou na própria sede do órgão, no Distrito Industrial. As pessoas inscritas, portanto, ainda terão que passar por um processo de seleção onde serão avaliados os pré-requisitos para participação no evento, como informou José Alberto Machado.
“Terão prioridade aqueles profissionais que atuam em atividades inseridas no contexto do seminário, ou que o tema esteja relacionado à sua formação acadêmica. Qualquer pessoa pode participar desse seminário, desde que vençam esse filtro”, disse. Para participar de um seminário, o candidato não poderá estar inscrito em nenhum outro com horário conflitante. O resultado da aceitação será informado ao pré-inscrito uma semana após a inscrição.
Os seminários serão coordenados pela Suframa em parceria com diversas empresas e instituições de ensino e pesquisa. Ao todo são 32 parceiros que contribuirão com a logística do evento e principalmente com a qualidade no conteúdo das discussões. “Esses parceiros foram escolhidos por conhecerem o assunto debatido e por dispor de embasamento técnico e prático a respeito disso. Muitos deles participarão dos seminários por conta própria e trarão palestrantes de fora”, afirmou Machado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email