Irritado, Mário Frota quer convocar Valois

No final da tarde de segunda-feira, quando a Câmara Municipal de Manaus encerrava as votações dos projetos que compõem a revisão do Plano Diretor, o vereador Mário Frota (PSDB) recebeu uma intimação para depor no inquérito que apura as denúncias do advogado Félix Valois, sobre a existência de um grupo de vereadores que teria tentado extorquir um empresário. Irritado, o parlamentar fez um desabafo. Ontem, depois de uma noite aparentemente muito mal dormida, ele ocupou a tribuna para anunciar que a comissão formada para apurar o caso na Casa, presidida pelo próprio, vai convocar o denunciante para exigir que ele revele suas fontes. Na realidade, muitos vereadores se queixam de que, aonde quer que estejam, alguém sempre solta alguma ironia relacionada à denúncia. No caso de Frota, pior mesmo é ser o primeiro a comparecer à Polícia para falar de um caso em que ele jura não estar envolvido. “Aprovamos o plano de cabeça erguida, apesar de ter deixado a Câmara em situação vexatória, com muita lama jogada contra o Poder”, disse.

MAIS LENHA

Já o vereador Professor Bibiano (PT) impetrou ação popular com pedido de liminar junto à Vara da Fazenda Pública Municipal, solicitando a suspensão dos atos de tramitação, apreciação e votação do projeto de revisão do Plano Diretor. A justificativa é de que o texto aprovado não tem embasamento técnico-ambiental, conforme parecer produzido por comissão multidisciplinar formada por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

VERGONHA

Para o vereador Marcel Alexandre (PMDB), a Comissão de Revisão do Plano Diretor está sob suspeita, tanto em função da denúncia de Félix, quanto por causa da mudança de posição de sete parlamentares, que há duas semanas haviam derrubado a proposta de aumentar o gabarito para a construção de prédios em Manaus –de 18 para 25 andares – e na segunda-feira mudaram de posição sem que nada de novo fosse acrescentado ao texto.

IMPORTANTE

Um detalhe importante passou praticamente despercebido durante as votações: o plenário derrubou o parecer contrário do relator da Comissão de Revisão do Plano Diretor, Elias Emanuel (PSB), a uma emenda do vereador Isaac Tayah (PSD), que obriga o Implurb dar publicidade à decisão de exames e aprovação de projetos, em um link específico no site da prefeitura, e em local visível.

NÃO PAROU

As obras da Arena da Amazônia não pararam, ao contrário do que boa parte da imprensa divulgou. Estão em andamento os acabamentos nas áreas interna e externa. Apenas os serviços em altura, que envolvem o trabalho na cobertura do estádio, em andaimes e guindastes, seguem paralisados, conforme determinação da Justiça do Trabalho do Amazonas, atendendo ao pedido do MPT (Ministério Público do Trabalho), após a morte de um operário no último sábado (14).

VISITA

O deputado Sinésio Campos (PT) sugeriu ontem que os parlamentares da Casa façam uma visita coletiva ao canteiro de obras da Arena da Amazônia. Para ele, as mortes são culpa da construtora Andrade Gutierrez. “Na nota à imprensa, a empresa fala quem é e quem não é competente para representar os trabalhadores, mas esse não é o eixo. O assunto em questão é a responsabilidade dela em cumprir o TAC acordado entre ela e o MPT. O resto passa a ser justificativa sem sustentação legal nem jurídica”, disse.

POSSE

Promete ser concorrida a posse dos conselheiros Josué Cláudio de Souza Filho e Ari Jorge da Costa Moutinho Júnior, hoje, como presidente e vice-presidente do TCE-AM (Tribunal de Contas do Estado do Amazonas) para o biênio 2014-2015. A solenidade de posse acontecerá no auditório do órgão. O governador Omar Aziz, o prefeito Arthur Neto, o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, desembargador Ari Moutinho, o presidente da Assembleia Legislativa, Josué Neto, e o presidente da Câmara Municipal de Manaus, Bosco Saraiva, já confirmaram presença.

BLITZ

Para coibir a demora no atendimento aos clientes, problema que se agrava com a chegada das festas de fim do ano, os órgãos de defesa do consumidor vão realizar, quinta e sexta-feira, uma blitz em vários bancos da capital amazonense, para fiscalizar o cumprimento da “Lei das Filas”.

DRAMA

Veja a que ponto o mercantilismo educacional chegou em Manaus. A pouco badalada Universidade Táhirih, que instalou-se na zona Leste da cidade oferecendo cursos de pedagogia, serviço social e administração, enfrenta situação dramática. Os alunos falam em falência e estão apavorados com a possibilidade de perder todo o recurso que investiram até aqui. Por isso estão peregrinando por órgãos de defesa do consumidor pedindo ajuda para concluir os cursos em outra instituição.

NO TAPA

A oferta exacerbada de imóveis novos vem fazendo com que os corretores, pressionados pelas construtoras, disputem cada cliente com muita avidez. No início da semana dois deles quase se agridem em um escritório de advocacia, quando se encontraram na ante-sala de um potencial comprador.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email