INSS injeta R$ 77 milhões no AM

O pagamento da primeira parcela do 13º salário de aposentados e pensionistas deve injetar R$ 77.648.477,01 na economia amazonense, um acréscimo de 27% ao total pago no mês. Com o acréscimo, o total pago pelo INSS no mês será de R$ 284,8 milhões. Os dados são do Ministério da Previdência Social. O pagamento que começou a ser realizado ontem (26) pelo INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) se estende até o dia 6 de setembro. Inicialmente serão pagos benefícios de até um salário mínimo. Os segurados que recebem acima do mínimo terão seus benefícios creditados a partir do dia 2 de setembro.
Serão 175.551 de benefícios creditados com o décimo terceiro no Estado, dos 268.966 totais, o que equivale a 65% dos assegurados. A diferença entre a quantidade de benefícios creditados na folha e o número de benefícios do abono ocorre por que nem todos os segurados têm direito a receber o benefício. Os assegurados que recebem o Loas (Lei Orgânica de Assistência Social), benefício de amparo assistencial pagos a idosos que não recebem nenhum outro beneficio previdenciário e deficientes, não tem direito ao 13º.
Na primeira parcela não há desconto do Imposto de Renda, de acordo com a legislação a cobrança só é feita em novembro e dezembro, quando será paga a a segunda parcela. A antecipação do 13º começou a ocorrer em 2006 com prazo até 2010. No entanto atendendo a reivindicações de aposentados e visando aquecer a economia o Ministério da Previdência decidiu manter o adiantamento. No entanto a previsão do comércio local é que esse dinheiro deva ser utilizado para o pagamento de dívidas e não cause grande impacto nas vendas.

Comércio local

Na visão do presidente da CDLM (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), Ralph Assayag, pouca parte do dinheiro deve ser convertido em compras no comércio de Manaus, no entanto, boa parte das dívidas devem ser quitadas. “Os aposentados tem um sério problema de endividamento, normalmente 30% do salário é só para pagar as contas. Esse dinheiro deve ser utilizado para isso. Porém qualquer acréscimo é bem vindo”, comenta.
Apesar de reconhecer que muitas famílias sobrevivem com o dinheiro de aposentados, Assayag minimiza os efeitos do acréscimo para economia. A estimativa da CDLM é que nem metade desse valor chegue ao comércio local. “Menos de R$ 35 milhões deve chegar às vendas do comércio. Além disso, o pagamento dura quase 15 dias, o que acaba fazendo com que o comércio não sinta muito impacto desse dinheiro”, explica.
O presidente da CDLM também destaca que um crescimento das vendas devem ocorrer naturalmente no 2º semestre por motivos sazonais, mas sem atribuí-los ao adiantamento do 13º dos aposentados. Segundo Assayag o primeiro semestre desse ano já apresentou um crescimento de 2,7% em relação ao ano passado e devem aumentar no segundo a um nível moderado. “O país vive um momento de instabilidade. O crescimento deve ocorrer, mas deve ser abaixo do que esperávamos anteriormente. A alta do dólar nos preocupa muito também”, conclui.

Brasil

No país serão 26.530.647 beneficiados com o adiantamento, 85% dos 30.760.500 que recebem o benefício. Os pagamentos injetarão R$ 12,6 bilhões na economia brasileira, além dos mais de R$ 23 bilhões de benefícios mensais. Ao todo serão pagos R$ 39,3 bilhões pagos pelo INSS, um acréscimo de 32%. Os segurados que estão em auxílio-doença também recebem uma parcela menor que os 50%. Como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email