Inpa anuncia novo concurso

O Inpa/MCTI (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) realizou nesta terça-feira (20) a última reunião do CTC (Conselho Técnico-Científico), na gestão do atual diretor, Adalberto Val. Dentre os assuntos discutidos, estão os principais avanços e metas alcançadas pelo Inpa no período de 2006 a 2014, além da sinalização pela Casa Civil e da Presidência da República da realização de um novo concurso no Inpa para a contratação de pessoal de níveis superior e médio.
O CTC é um órgão colegiado constante na estrutura organizacional do Inpa e tem, entre outras funções, orientar e assessorar o diretor no planejamento das atividades científicas e tecnológicas do instituto. Fazem parte do CTC, além de Adalberto Val, os conselheiros Odenildo Sena, secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação; o empresário Gaitano Antonaccio, da ACA (Associação Comercial do Amazonas); os pesquisadores do Inpa Basílio Frasco Vianez, Gislene Almeida Zilse e Paulo Maurício Graça.
A realização de um novo concurso para o preenchimento de cerca de 150 vagas para pesquisadores e pessoal administrativo vem atender a deficiência de recursos humanos no Inpa. “Por enquanto, é apenas sinalização de concurso, sem previsão de prazos”, destacou Val.
Em 2012, o instituto abriu 91 vagas em concurso, sendo duas vagas para Tecnologista, 11 vagas para pesquisador e 78 vagas para técnico. O Inpa possui mais de 700 servidores, sendo 200 deles pesquisadores nas mais diversas áreas de pesquisa.
“Existe a necessidade de se realizar um concurso púbico na área de gestão, tendo em vista o grande número de aposentadorias no instituto”, comentou o coordenador de Administração do Inpa, Raimundo Otaíde Picanço.

Avanços
Durante a reunião, a coordenadora do CPAF (Centro de Pesquisa e Acompanhamento de Atividades Finalísticas), Hilândia Brandão, destacou os principais avanços e metas alcançadas pelo Inpa, nos últimos oito anos, como a evolução da pesquisa e da produção científica, além da evolução da captação de recursos. Segundo a coordenadora, foram 489 projetos que receberam investimentos na ordem de R$ 173 milhões oriundos do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas).
O coordenador de Ações Estratégicas, Estevão Monteiro de Paula, falou sobre a Coordenação de Tecnologia da Informação com seus recentes avanços estratégicos e destacou o número de publicações científicas produzidas pela Editora do Inpa com 98 títulos, entre livros, cartilhas e revistas. Também destacou projetos institucionais em parceria com a Fapeam, Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), Sudam (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia) e Projetos Grandes Vultos.
A coordenadora de Capacitação, Beatriz Teles, ressaltou que após a reforma administrativa ocorrida na gestão da atual diretoria, passou a ter um núcleo de apoio administrativo que coordena todos os programas de pós-graduação. Segundo ela, 131 docentes são credenciados pelos programas e, no período de 2006 a 2014, foram realizadas 906 defesas, entre mestrado e doutorado e concedidas cerca de 1.600 bolsas no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica. O Inpa é a única instituição do Estado com curso de pós-graduação com conceito 6 na avaliação trienal da Capes divulgada em 2013, neste caso o de Ecologia. As notas variam de 1 a 7, sendo que 6 e 7 são considerados de qualidade internacional.
Para Adalberto Val, a pós-graduação no Brasil precisa de uma revolução dramática no que se refere a sua estruturação a fim de explorar sua interface, trabalhar em conjunto e capilarizar pelo interior da Amazônia. “E a pós-graduação é de fundamental importância nesse processo”, disse.

Extensão
Quanto à evolução na área de Extensão, o coordenador Carlos Bueno ressaltou que o Inpa possui 166 processos e produtos originados dos 64 pedidos de patentes junto ao Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Ele também citou a criação da Coordenação de Tecnologias Sociais e a Coordenação de Extensão Tecnológica e Inovação, além da Incubadora do Inpa que possui sete empresas incubadas. São elas Hdom, Delicatessen Pescado, Nectar, Amazônia Sócioambiental, CiaFlor, Portela Woods e Biozer.
Bueno também falou sobre o grande número de visitantes no Bosque da Ciência, que nestes 15 anos de criação o espaço de divulgação científica e educação ambiental recebeu cerca de um milhão e 400 mil visitantes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email