Indústria de preservativos é atração turística no interior do Estado do Acre

Uma fábrica de preservativos masculinos virou exemplo de projeto sustentável de interesse turístico para quem visita Xapuri, no interior do Acre. A Natex, única no mundo a utilizar látex de seringal nativo na produção de “camisinhas”, tem tudo a ver com a história dos seringueiros acreanos e com a preservação da floresta amazônica.
A relação com as populações tradicionais locais torna a fábrica, que produz 100 milhões de unidades/ano, um atrativo de interesse cultural. Assistir à retirada da borracha no meio da mata, ouvir as histórias da vida nos seringais e depois ver o látex ser transformado em preservativos é uma experiência inesquecível. A Natex provocou uma espécie de ressurgimento da atividade seringueira em Xapuri.
O leite retirado das seringueiras da Reserva Extrativista Chico Mendes garante o sustento de mais de 400 famílias envolvidas direta e indiretamente na produção dos preservativos. “Trabalhamos com a lógica da agregação de valor”, afirma o secretário de Turismo do Acre, Cassiano Marques. Ele explica que a fábrica é uma iniciativa de desenvolvimento de tecnologia para aumentar a competitividade dos produtos florestais, de viabilização da economia extrativista da borracha natural e um projeto de grande alcance social.
Criada em 2002 e operando desde 2007, a Natex é uma iniciativa do Governo do Acre em parceria com os ministérios da Saúde, Integração Nacional, Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e Banco Interamericano de Desenvolvimento. Toda a produção é direcionada para o Programa DST/Aids do Ministério da Saúde.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email