6 de dezembro de 2021

Penso que sentir-se grato – e agradecer por isso – é um dos estados de espírito mais valiosos para os seres humanos serem motivados, conscientes, resilientes e alegres. A gratidão tem um potencial especial de nos tornar mais humildes, compreensivos e cooperativos, valorizando quem  nos auxiliou, nos impulsionou, nos protegeu e até nos salvou ou resgatou de situações muito difíceis. Esse sentido de pertencimento que a gratidão desperta em nossas mentes e corações é impressionante, pois nos integra num espaço de relacionamento interpessoal que nos faz bem. Torna-nos mais equilibrados e justos nos julgamentos, menos egocêntricos nas percepções, mais dignos nas atitudes com o próximo. Desloca o foco de alcance de nossas metas pessoais de posse e de domínio, seja do outro ou de bens materiais, para um campo relacional de encontro, do estar plenamente vivo!

Acredito que as pessoas mais gratas são mais capazes de enfrentar as dificuldades objetivas da vida, inclusive os problemas emocionais. São mais aptas a valorizar os aspectos positivos e a não se aprisionar nos aspectos negativos. Conseguem transformar problemas em desafios, evitando que a autoestima desmorone e turbe a própria capacidade de discernimento do que é bom ou ruim, necessário ou supérfluo. Esta é uma das razões por que agradecer sinceramente é como um bálsamo para os ferimentos causados pelos espinhos e quedas na caminhada. Tem efeito terapêutico.

Quem de nós nunca fracassou pelo menos algumas vezes na vida? Alguns mais jovens talvez ainda não tenham passado pela angústia de grandes decepções, as mais duras aquelas derivadas de situações em que nos sentimos vítimas de injustiças e/ou de calamidades inesperadas e impactantes que parecem nos deixar no “chão da existência”. Nestes momentos é fundamental observar que até a tragédia que nos abala profundamente pode nos deixar lições de solidariedade e generosidade… Que até nossos próprios fracassos pessoais podem nos mostrar nossas fraquezas, nos tornando mais humildes e compreensivos e nos ajudando a  valorizar aspectos de nossas vidas para os quais não dávamos a devida atenção.

Acredito que a gratidão perpassa pela capacidade de transcender os erros, sejam alheios ou nossos, e buscar um outro nível de relacionamento interpessoal, em que afeto e paz interior nos direcionam para aquilo que efetivamente dá sentido à nossa existência. Gratidão, assim, se associa com nossa capacidade de perdoar os outros e de pedir perdão pelos nossos equívocos e … De recomeçar!

Por isso quero cada vez mais agradecer à Deus, à vida, aos meus pais, aos meus antepassados, aos meus familiares e amigos, aos meus professores, à Natureza, aos colegas de estudo ou de trabalho… A todos que me ensinaram e continuam a ensinar a caminhar na vida com dignidade e bondade, superando meus defeitos e limitações, com a coragem do amor. Por isso mesmo, a gratidão começa em casa, mas se expande à medida em que nos relacionamos com as demais pessoas, com os animais, com o ambiente, com Deus.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email