Governo mantém previsão de crescimento em 2009 e vê inflação maior

O governo federal manteve a previsão de crescimento de 1% da economia em 2009. O dado consta do relatório bimestral de reavaliação do Orçamento deste ano divulgado na terça-feira.
No projeto de Orçamento enviado ao Congresso em 2008, antes da crise, a previsão era de um crescimento de 4,5%. Durante a votação da proposta orçamentária, após os efeitos da crise econômica chegarem ao país, o percentual foi reduzido para 3,5%.
Em março, essa previsão foi reduzida para 2%. Na revisão do Orçamento de maio, o número já estava em 1%.
Fora do governo, no entanto, as previsões continuam apontando para uma queda no PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas no país).
No documento, o Ministério do Planejamento aumentou a previsão para o IPCA (índice oficial de inflação), de 4,3% para 4,42%. Para o IGP-DI, caiu de 2,01% para 1,35%. Foi mantida a previsão de reajuste da Previdência em 5,92% para os benefícios acima do salário mínimo.
“A projeção relativa à inflação foi ligeiramente elevada para 4,42%, abaixo da meta de inflação perseguida pela política monetária, que é de 4,5%, e se mostra compatível com a trajetória para este índice observada até o momento”, diz o Planejamento.
A estimativa para taxa Selic média no ano caiu de 10,25% para 9,98% ao ano. Para o dólar, recuou de R$ 2,23 para R$ 2,08.
O governo decidiu manter o Orçamento de 2009 sem cortes de gastos ou liberação de recursos, apesar da queda na arrecadação projetada para este ano.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email