13 de abril de 2021

Governo eleva combate a crimes ambientais

Secretaria de Meio Ambiente realizou operação de fiscalizaçâo dentro de Unidades de Conservação do Estado, onde apreenderam madeira e reserva de peixes ilegais

A SDS (Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas), realizou por meio do Ceuc (Centro Estadual de Unidades de Conservação), uma operação de fiscalização na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, Reserva Biológica do Abufari, Parque Nacional Nascentes do Jarí, e nas terras indígenas (Terra Vermelha e Itiximitari). A ação resultou na apreensão de 6.064 kg de pescado ilegal e ainda em uma quantidade estimada de 1363,44 m3 de madeira ilegal.
A ação foi realizada em conjunto com o Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas), ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Funai (Fundação Nacional do Índio) e Batalhão de Policiamento Ambiental, no final de abril e início de maio.
Durante 29 dias, a equipe percorreu Unidades de Conservação estaduais, federais e terras indígenas na área de influência da BR-319, com o objetivo de fiscalizar e conter os ilícitos ambientais praticados contra a fauna e flora, como a exploração de madeira e pesca ilegal. “A fiscalização nas Unidades de Conservação é eficiente para combater a prática a degradação dos recursos naturais. Só assim, poderemos cumprir plenamente com o papel de gestão dessas áreas”, declara Domingos Macedo, coordenador do Ceuc.
O trabalho resultou na apreensão de mais de seis mil quilos de pescado ilegal. Sendo 5.950 kg de jaraqui, matrinxã e curimatã, 74 kg de tambaqui (ruelo) e 40 kg de pirarucu seco. Durante a operação, foram autuadas 14 pessoas, totalizando R$ 81.085 mil em multas.
Já na atividade de fiscalização madeireira, foi apreendida uma embarcação, 12,41 m3 de madeira em pranchas, 1.351 m3 em toras, que estavam sem licenciamento. A madeira foi encontrada no Paraná do Caioé, próxima a Vila do Arumã. Os infratores evadiram do local.
Os peixes apreendidos foram doados para as comunidades de Vila do Arumã, Supiá, Supiazinho da RDS Piagaçu-Purus, e também o Hospital Unidade Mista e Secretaria de Assistência Social do município de Beruri. A madeira apreendida será doada as entidades públicas, após a análise dos processos.
De acordo com o agente de proteção ambiental do CEUC, Reginaldo Freitas, as ações conjuntas de fiscalização e monitoramento irão intensificar este ano. “As parcerias estabelecidas com os órgãos federais e estaduais, contribuem para um trabalho efetivo na fiscalização das Unidades de Conservação”, destaca Freitas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email