Governo anuncia contratos de opção para comercialização do arroz

Com o objetivo de evitar a queda nos preços pagos ao produtor, o governo federal ofertará, até o final deste mês, contratos de opção para 1,3 milhão de toneladas de arroz

Com o objetivo de evitar a queda nos preços pagos ao produtor, o governo federal ofertará, até o final deste mês, contratos de opção para 1,3 milhão de toneladas de arroz. Esse tipo de contrato, adquirido em leilões promovidos pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), garante a comercialização da colheita do produtor, que tem a opção de vender ao governo, caso o preço de mercado esteja abaixo do estabelecido no contrato.
Segundo o diretor de Logística e Gestão Estratégica da Conab, Silvio Porto, os contratos serão divididos em 1,15 milhão de toneladas de arroz do Rio Grande do Sul, que detém 60% da produção nacional, e 150 mil de Santa Catarina. Os contratos terão prazo de exercício a partir de setembro.
“O grande problema é que nós temos uma concentração bastante significativa no estado do Rio Grande do Sul e é natural que, no momento de colheita, tenhamos queda de preços e também porque tivemos a recuperação da produção em nível mundial”, explicou Porto.
Para o diretor da Conab, a comercialização da safra 2008/2009 ocorrerá sem grandes problemas. Estamos muito atentos em relação questão do arroz e do feijão nesse momento, inclusive já fazendo operações de aquisição de feijão, tanto no Paraná quanto em Goiás. Em relação ao arroz, nossa espectativa é de manutenção de preço superior ao preço mínimo. O milho, embora tenha tido pequenas quedas, acreditamos que vá ficar acima do preço mínimo também, afirmou.
Porto disse que ainda este mês o governo colocará recursos dos Ministérios do Desenvolvimento Agrário e do Desenvolvimento Social e Combate Fome para a compra de feijão, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos. Asseguraremos, assim, a expectativa de manter o preço de R$ 80 [por saca], equivalente ao preço mínimo”, disse Silvio Porto.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email