Fucapi participa da 4ª Fiam com exposições

No ano em que o tema da Fiam 2008 (4ª Feira Internacional da Amazônia) é a água, a Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica) vai levar ao Centro de Convenções do Studio 5 toda sua experiência na área do meio ambiente. Projetos e ações para o melhor aproveitamento das águas, como “Água Limpa para as Pequenas Comunidades da Amazônia”, “Pós-tratamento de Esgoto, Utilizando Filtro Raiz em Áreas Alagáveis” e “Projeto Reatores para Tratamento de Efluentes”, estão entre as contribuições da Fucapi para a região, por meio do Ceder (Centro de Desenvolvimento Regional).
Durante o evento, uma iniciativa do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) a ser realizado no período de 10 a 13 deste mês, a Fucapi mostrará o “Projeto Reatores”, que é uma tecnologia de tratamento de efluentes já desenvolvida pela instituição e aplicada a diversos empreendimentos. Os reatores possuem formato cilíndrico e podem ser utilizados de forma semi-submersa, semienterrada, apoiada ou elevada. Também podem ser instalados em barcos e flutuantes de maneira a evitar que a água servida (esgoto) seja despejada nos rios sem o devido tratamento.
Segundo o coordenador do Ceder, Alex Magalhães, outros dois projetos a serem apresentados e que têm a água como principal elemento de pesquisa também terão destaque: “Água Limpa para as Pequenas Comunidades da Amazônia” e “Pós-tratamento de Esgoto, Utilizando Filtro Raiz em Áreas Alagáveis”. “A nossa intenção não é demonstrar o funcionamento de cada um, mesmo porque eles estão em fase de execução. Mas o tema também será levantado nos seminários que iremos participar”, afirmou o coordenador.
O projeto “Água Limpa”, que está em execução, é financiado pelo Banco da Amazônia. “O objetivo é o de prover água de boa qualidade destinada às comunidades amazônicas. O projeto contempla a captação de água dos Rios Negro e Solimões e também o aproveitamento de águas pluviais”, afirmou Alex.
O outro projeto de pesquisa do Ceder, “Pós-tratamento de Esgoto”, ainda está em fase de efetivação de contrato de financiamento com a Funasa (Fundação Nacional de Saúde). “Sua finalidade é proporcionar um sistema de tratamento de esgoto complementar, utilizando a própria vegetação da área de várzea neste processo”, explicou.
De acordo com Alex, estes dois últimos projetos ainda não podem ser difundidos para atendimento à população como produtos, pois estão em estágio de pesquisa e necessitam ser validados com o devido critério, portanto, ainda suscetíveis a ajustes. “Mas é muito importante mostrar à sociedade e à classe empresarial o que estamos fazendo e o que podemos fazer no futuro. Além de proporcionar a visibilidade, participar da Fiam é uma forma de incentivar o desenvolvimento de pesquisas semelhantes, para que contribuam para a melhoria da qualidade de vida das populações da região amazônica”, enfatizou o Coordenador, ­lembrando que quanto mais ações neste sentido forem tomadas, mais a população será beneficiada por um ambiente menos poluído.
Este ano, a Fiam reunirá cerca de 300 expositores do Brasil e mais 31 países, distribuídos em 200 estandes, para, nos quatro dias, expor produtos e serviços e realizar encontros de negócios, entre outras atividades, o que representa uma ótima oportunidade para a divulgação do potencial econômico da Amazônia e estímulo do intercâmbio científico e tecnológico.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email