Fique alerta: Seu cão pode estar com a paralisia do carrapato

Parece estranho, não é?, o quanto esse bichinho tão minúsculo que se alimenta de sangue é uma constante ameaça à saúde dos cães! E exige de todos um controle efetivo, eficaz. Não relaxe. Fique alerta!

Só uma boa prevenção poderá proporcionar sempre um desfecho feliz na vida do seu melhor amigo, não só para os problemas causados pelo carrapato, mas também para uma série de inúmeras outras doenças, que seria impossível nominar todas elas só nesse espaço.

Além da famosa e tão famigerada erliquiose, o parasita causa uma desordem motora que deixa o animal prostrado, moribundo, sintomas que podem confundir muito os veterinários. É a paralisia do carrapato. 

Até isso?, dizem muitos tutores pegos de surpresa ao saberem do  fatídico diagnóstico em consultórios e clínicas veterinárias. Já chega a erliquiose, que causa uma anemia tão profunda e mata por choque hipovolêmico! 

E agora mais essa. Você já tinha ouvido falar desse problema? Provavelmente, não. A doença é transmitida por uma toxina presente na saliva das fêmeas do carrapato. Ela afeta principalmente o sistema nervoso. 

E os sintomas vão aumentando de acordo com a intensidade, do estágio ou da evolução do problema.

Em geral, o cão apresenta uma súbita apatia. Fica isolado. Também pudera, não é? – não consegue andar direito. Apresenta salivação excessiva, tem dificuldade para se alimentar, seguido de uma diminuição parcial ou completa dos movimentos e reflexos. As pupilas ficam dilatadas. 

Seguem-se episódios de asfixia, pressão alta, ritmo cardíaco acelerado. E fraqueza nos membros posteriores (pernas traseiras). 

Desconfie, então, se seu pet parou de andar subitamente, principalmente se ele teve episódios recentes de carrapato antes de manifestar esses sintomas. Claro, nem sempre pode ser esse o problema. 

Os animais podem ter AVC (acidente vascular cerebral) e doenças provocadas por vírus, como parvovirose e cinomose (nossa, esta última é extremante letal), que acometem pets não vacinados. Elas também atacam o sistema nervoso. Só lembrando que a vacinação deve ter o reforço anual.

Mas vamos ao que interessa nesta edição. Não se desespere, a paralisia do carrapato tem cura, desde que a intervenção seja o mais breve possível. Então, se o seu cão está com todas as vacinas em dia, mas começa a apresentar problemas de locomoção motora após ser infestado por carrapatos, leve-o imediatamente ao veterinário.  

Exames e remédios são específicos para a paralisia do carrapato. Mas o tratamento começa com a eliminação do parasita. De nada adianta tratar o cão se o bichinho continua ali, parasitando o seu animal.

Às vezes, os movimentos são normalizados à medida que o organismo do animal elimina a seiva da fêmea do carrapato. É um processo natural, mas que nem sempre acontece dessa maneira.  Nesse caso, o veterinário poderá decidir pela internação ou não do seu melhor amigo.

Existem hoje carrapaticidas orais muito eficazes. Basta uma dose oral única com reforço mensal ou trimestral para controlar o parasita. Muito simples!

POR DENTRO

SINTOMAS

.Vômito;

.Dificuldade para se alimentar

.Salivação excessiva

.Pupilas dilatadas

.Perda os movimentos de forma parcial ou completa;

.Perda parcial ou completa dos reflexos 

.Episódios de asfixia

.Pressão alta

.Ritmo cardíaco acelerado

Fraqueza nos membros posteriores

DICA ANIMAL

‘Ele não larga do meu pé’

Crédito: Divulgação

Realmente, a quarentena vem deixando os pets mais apegados. Esse comportamento acontece mais com os cães, que se esmeram em dengos, choramingos, para ter uma maior atenção dos tutores.

Não exagere nos carinhos e chamegos. Pense que após o isolamento eles voltarão a ficar sozinhos como antes. E nem sempre você terá o mesmo tempo dedicado agora em função das medidas preventivas contra o coronavírus. Fica a dica!

Fonte: Marcelo Peres

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email