FED e Tesouro pedem reforma de regulamentação financeira

O presidente do FED (Federal Reserve, o BC americano), Ben Bernanke, e o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, pediram na terça-feira ao Congresso que revise o sistema regulatório sobre as instituições financeiras, a fim de endurecer a fiscalização e impedir novas crises como a que atualmente abala tanto a economia americana como a global.
Bernanke enfatizou, em audiência diante da Comissão de Serviços Financeiros da Casa dos Representantes (Câmara dos Deputados), a “necessidade urgente de novos procedimentos de resolução para firmas financeiras não bancárias importantes para o sistema’’, citando como exemplo o resgate estatal sem precedentes da seguradora AIG, na tentativa de atenuar as perturbações financeiras.
Geithner, na mesma audiência, disse que o governo do presidente americano, Barack Obama, e o Congresso devem trabalhar em conjunto para elaborar uma “reforma regulatória integral e eliminar os vazios na supervisão’’.
“Todas as instituições e mercados que podem apresentar um risco sistêmico estarão sujeitas a uma rígida supervisão, incluindo as travas adequadas para a tomada de riscos’’, afirmou. Geithner e Ben Bernanke também pediram a criação de uma autoridade regulatória dotada do poder de liquidar as sociedades financeiras não bancárias.
“Devemos criar uma nova autoridade dotada de um poder de liquidação de maneira que o governo federal conte com as ferramentas de que necessita para desmantelar uma instituição do tamanho e da complexidade de uma AIG’’, declarou Geithner.
“A AIG trouxe à luz a urgente necessidade de novos procedimentos de liquidação para as sociedades financeiras não bancárias de uma importância tal que sua falência faria perigar o conjunto do sistema’’, disse o presidente do FED.
Ambos foram à comissão para explicar a postura das instituições que comandam no caso do pagamento de US$ 165 milhões em bonificações a executivos da AIG, que recebeu US$ 180 bilhões em ajuda do governo e registrou prejuízos bilionários no ano passado -US$ 61.7 bilhões no quarto trimestre e de US$ 99.289 bilhões em 2008 como um todo (ambos recorde).
No último dia 19, o diretor de controle de utilização de fundos públicos concedidos aos bancos americanos, Neil Barofsky, anunciou que investigará os bônus pagos a executivos da AIG e principalmente o papel do Tesouro no caso.
Neil Barofsky informou que o contrato entre a AIG e o Tesouro, em vigor desde novembro, já previa “o pagamento de bônus e retenção de pagamentos aos funcionários da AIG, incluindo os maiores sócios da AIG’’.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email