Fapeam dispõe R$ 74 milhões para projetos de inovação

A Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas) lançou, na última quinta-feira, o edital 2007-2008 que dispõe de aproximadamente R$ 74 milhões para 36 projetos de inovação científica e tecnológica.
Nesta edição, que se estende durante os próximos 12 meses, uma das iniciativas está o Programa Amazonas de Apoio à Pesquisa em Micro e Pequenas Empresas previsto para iniciar em outubro deste ano que visa à apoiar com recursos financeiros de R$ 6 milhões 33 micro e pequenas empresas interessadas em melhorar o desempenho de processos com soluções tecnológicas e desenvolver novos produtos.
Do valor total, R$ 4 milhões são disponibilizados pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), R$ 1 milhão pela Fapeam e mais R$ 1 milhão pela Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico) .
Já o Programa de Apoio a Incubadoras, que também faz parte deste edital, vai disponibilizar R$ 1,5 milhão para 30 empreendedores. Para concorrer ao incentivo, os projetos devem apresentar a criação ou continuidade de novos negócios, ou ainda, braços de pesquisa e desenvolvimento de pequenas e médias empresas que tenham interesse em desenvolver linhas de produtos ou serviços em incubadora.

Maior fatia

Dentre as instituições beneficiadas com os programa de apoio à pesquisa na edição anterior destacam-se a Ufam (Universidade do Federal do Amazonas), que aparece como a maior apreensora dos recursos cerca de R$ 34 milhões, o Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) fica em segundo lugar com R$ 28 milhões, e a UEA (Universidade do Estado do Amazonas) em terceiro com aproximadamente R$ 10 milhões. As três instituições juntas abocanharam 76% dos recursos disponíveis.
De acordo com o diretor-presidente da Fapeam, Odenildo Sena, neste edital são 15 novos programas. Empresários, estudantes indígenas instituições diversas e escolas da rede pública estão convidados a lançarem seus respectivos projetos e concorrerem igualmente aos recursos, que são exclusivamente destinados ao desenvolvimento tecnológico de produtos e introdução de novidades nos processos de produção. “Esses investimentos são de extrema importância para o desenvolvimento e disseminação do conhecimento no Estado. Beneficia a ciência e a tecnologia regional e retribui à sociedade em melhores condições de vida”.
No decorrer de quatro anos de existência, a instituição destinou cerca de R$ 103 milhões a programas de apoio e incentivo à pesquisa e qualificação acadêmica em diversos níveis.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email