11 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Existem regimes democráticos na América Latina?

O período da história do Brasil que vai da queda do Estado Novo (1945) à Ditadura Militar de 1964 é caracterizado como populismo

O período da história do Brasil que vai da queda do Estado Novo (1945) à Ditadura Militar de 1964 é caracterizado como populismo. Este não é um fenômeno político exclusivamente brasileiro, mas latino-americano que floresceu no período pós- segunda guerra mundial. Na realidade, o que existe nos países latino-americanos é o populismo.
O que é populismo? Quais suas características? Consultando o Pequeno Dicionário de Língua Portuguesa, de autoria de Aurélio Boarque de Holanda, este diz que populismo é “uma política baseada no aliciamento das classes inferiores da sociedade”.
Para J. William Versentine e Vânia Vlack, autores do livro de Geografia do Mundo Subdesenvolvido, afirmam que o “populismo é uma forma de política em que os líderes tomam algumas medidas que agradam ao povo para dar a impressão de que a melhoria e nível de vida da população é o grande objetivo da ação do governo. Só que isso é uma ilusão, pois o objetivo normalmente continua sendo o de atender aos interesses das elites dominantes”.
Alguns desinformados pensam que o populismo nasceu há pouco tempo. Ele é desde a Roma Antiga, onde era usado o termo “Panis et circensis” (pão e circo), ou seja, enquanto o povo tiver o que comer e com que se entreter não vai atrapalhar.
Dentre as características do populismo está o fato de que o contato do líder com as massas acontece diretamente. Ele não necessita de ninguém para intermediar a sua comunicação com o povo, mas vai ao encontro dele, tornando-se “amigo pessoal” das classes menos favorecidas, preocupando-se com a situação individual dessas classes. Essa aproximação permite ao líder ser eleito com expressiva margem de votos, uma vez que o povo confia nele, pois não se trata de qualquer político, mas de um amigo.
Por isso, o populismo tem como foco as classes média e baixa. O líder populista está acima de todas as classes, é representante único e total dos anseios do povo que o elegeu. Governos populistas procuram ganhar o voto dos eleitores com promessas que, em sua maioria, jamais irão cumprir.
Procuram passar a impressão de que empregarão dinheiro público em beneficio dos oprimidos e não para favorecer amigos e parentes, que jamais admitirão pessoas para o exercício de cargos públicos sem utilizar o critério da competência e que as mordomias cessarão. Pode-se afirmar, então, que na América Latina nunca houve, de fato, regimes democráticos.
O que existe é o populismo disfarçado de democracia. No Brasil, existiram vários governos populistas, mas o maior expoente do populismo foi Getúlio Vargas.
A Consolidação das Leis Trabalhistas e o 13º salário foram instrumentos que serviram para aproximar o Caudilho das grandes massas.
De tanto bajular o povo foi apelidado de “pai dos pobres”, mas esqueceram de dizer que ele também era “mãe dos empresários”. No governo atual, medidas como Bolsa Família, entre outras que beneficiam uma grande parcela da população, e vieram como tapa-buracos, servindo de esmola para o povo e aumentando o prestígio do governo atual, são formas de populismo.
Em síntese, podemos dizer que os governos populistas tomam certas medidas para desviar a atenção do povo dos grandes problemas que a nação enfrenta (segurança, desemprego, educação e saúde de péssima qualidade, fome etc.).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email