Empresas administradoras investem R$ 12 bilhões

Nos últimos 11 anos, as empresas privadas que receberam concessões de rodovias investiram R$ 11,9 bilhões nas estradas. O dado foi divulgado ontem durante audiência pública na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados. Os parlamentares queriam discutir o papel da iniciativa privada na melhoria das condições de transporte terrestre no Brasil. Atualmente, 38 concessionárias atuam em oito estados (Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul).

Desde a publicação da Lei de Concessões, em 1995, mais de 4 bilhões de veículos já pagaram pedágio no Brasil. O preço da tarifa foi um dos principais pontos do debate entre os deputados. Considerado alto em muitos trechos, o pedágio ainda é o principal responsável pelas opiniões contrárias às Parcerias Público-Privadas nas rodovias brasileiras.

Para o diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), José Alexandre Nogueira de Resende, o cidadão não percebe que o valor pago pelo pedágio é menor do que o gasto com manutenção do veículo, caso o mesmo rodasse em uma via em piores condições.

“O pedágio ainda é um pouco emblemático, falta uma reação diante da sociedade”, afirmou Resende, ao ser questionado sobre os motivos para que o sistema de concessão não seja aplicado em outras partes do país.

Em outubro deste ano foram leiloadas as concessões de sete rodovias federais. A empresa espanhola OHL (Obrascon Huarte Lain Brasil) levou cinco dos sete trechos licitados. A empresa brasileira BRVias e o Consórcio Acciona ganharam, cada um, o direito de explorar apenas uma rodovia. O critério de seleção da ANTT foi a oferta do menor preço de pedágio.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email