Em jogo de blefes, pmdb ataca

A divergência envolvendo PT e PMDB em vários Estados coloca em risco a aliança nacional entre as duas legendas. A avaliação é do senador peemedebista Eduardo Braga e mostra o quão pesado seu partido vai jogar para garantir vantagens a seus candidatos nos Estados, inclusive ele próprio, às voltas com a claudicância dos petistas amazonenses. De acordo com o parlamentar, que integra o grupo de senadores novatos da sigla, que, atualmente, divide o controle do partido com os grupos de Renan Calheiros (AL) e José Sarney (AP), o esforço para oficializar a união entre petistas e peemedebistas não depende apenas do PT. “Se os delegados do Rio se juntarem aos do Ceará e de mais dois Estados, como Bahia e Pará, para votar contra, [a chapa Dilma-Temer] perde a convenção. Aí os dois partidos não coligam, a presidente perde cinco minutos na televisão e o PMDB não faz o vice. O esforço para resolver esses problemas tem que ser muito mais do PT, da presidente, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De todo mundo, arrumando e organizando o jogo regional, que não está arrumado”, afirmou.

ENQUANTO ISSO…

Dilma já tem o PP pela metade – o partido fecha com ela em nível nacional, mas liberou os diretórios regionais para apoiar quem quiserem –e não terá o PSB desta vez em seu palanque –a sigla terá candidato próprio, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Vai ter que tentar preservar o PMDB de qualquer jeito, porque de outra forma a grande aliança com que sonhou vai se resumir a PT, PC do B, PDT e PTB. O PSD do governador Omar Aziz continua sendo uma incógnita.

BELO GESTO

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, agradeceu pessoalmente, ao jornalista George Guerreiro, que em um ato de cidadania, limpou o ponto de ônibus instalado no Complexo Turístico da Ponta Negra, na zona Oeste. O equipamento amanheceu pichado no dia posterior à inauguração, o que causou indignação na cidade. Apenas o jovem, entretanto, se dignou a tomar uma atitude concreta. Muniu-se de detergente, eponja e água para apagar a sujeira.

OPORTUNIDADE

Profissionais graduados do Amazonas ainda podem submeter propostas para acesso a bolsas de mestrado e doutorado em cursos de pós-graduação stricto sensu no Brasil nas áreas naval e oceânica reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. O edital 023/2013, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, de fomento ao Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados em Engenharia Naval do Estado do Amazonas é de fluxo contínuo, e se destina àqueles que pretendem dar continuidade aos estudos na área.

POLO NAVAL

O objetivo da ação é incrementar o Polo Naval amazonense, e assim tornar o mercado local mais competitivo. Os resultados dessa iniciativa são para médio e longo prazo. As bolsas na modalidade mestrado são no valor de R$ 1.952, por um período de 12 meses, com renovação anual, de até 24 meses, a contar da data de início do curso informada no comprovante de matrícula. Já as bolsas de doutorado tem o valor de R$ 2.928, por 24 meses, também com renovação anual, de no máximo 48 meses, a contar da data inicial. Também são oferecidos os seguintes auxílios: deslocamento, despesas de instalação e adicional dissertação/tese.

ESTATÍSTICAS

Segundo dados do Boletim de Indicadores de CT&I da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, na região Norte 93,1% dos engenheiros possui o ensino superior completo, apenas 3,2% possuem mestrado, e 2,7% doutorado. Ainda de acordo com a pesquisa sobre o grau de instrução dos engenheiros por área de formação no Amazonas, em 2011, 94,1% informaram possuir ensino superior, 3,3% mestrado e 1,6% doutorado. Dentre as áreas no Estado que possuem maior número de doutores estão engenharia agrossilvipecuária, tecnologia, ensino superior, química, mecânica, produção e civil.

PÓLVORA

A região Sul do Amazonas é um barril de pólvora prestes a explodir. Há um conflito de interesses gritante que coloca em campos opostos produtores rurais, índios, garimpeiros e traficantes de drogas. O poder público muitas vezes fica espremido entre estas correntes antagônicas. É o que acontece neste momento em Apuí e Humaitá, onde três pessoas estão desaparecidas depois de terem sido supostamente abordadas por indígenas na rodovia Transamazônica.

ESTÁ LÁ

Aliás, para quem aprendeu nos livros de história que a BR-320 foi um projeto megalomaníaco dos militares, que se perdeu no tempo, a revelação de que ela é utilizada normalmente pela população do Sul do Pará e do Amazonas surpreende. O fato é que a Transamazônica existe, embora não asfaltada na maior parte. E está no meio deste conflito.

FERRAMENTA

A Câmara Municipal de Manaus está tratando como “uma nova ferramenta que vai fortalecer a luta para resguardar os direitos do consumidor na capital amazonense” a campanha “De olho no preço”, que será lançada apenas no dia 13 de fevereiro do próximo ano, no retorno ao trabalho dos vereadores. O objetivo é combater a variação entre os valores indicados na prateleira e aqueles cobrados na “boca do caixa” dos supermercados da cidade.

DURO

Questionado por um amigo, que queria saber se eram para valer suas declarações de que cobrará com rigor as metas estabelecidas para cada secretário, o prefeito Arthur Neto resumiu: “Não poupei nem o vice-prefeito. Por que vou poupar mais alguém?”

ALIVIANDO

Se por um lado vai cobrar duramente as metas, por outro o prefeito está anunciando a redução do contingenciamento das verbas das secretarias. Ou seja, vai dar mais condições para que os secretários desenvolvam seus projetos e abrir mão do direito que teria de usar como bem entendesse todos estes recursos contingenciados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email