Eleição e preparação para Copa 2014 devem beneficiar setor

O otimismo decorrente do final do período crítico da crise internacional financeira é um excelente aliado do desenvolvimento brasileiro. 2010 será um ano especial para o país, devido às eleições e também pelo início das obras de preparação para sediar a Copa do Mundo de 2014. O setor de serviços deverá ser um dos grandes beneficiados por essa conjugação de fatores positivos, segundo previsão do presidente da Cebrasse (Central Brasileira das Empresas de Serviços), Paulo Lofreta.
O governo acertou nas medidas tomadas, desde o ano passado, ao proteger a indústria e incentivar o consumo, segundo Lofreta. As obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) garantiram a geração de negócios para o setor de serviços, que praticamente não teve crise e prosseguiu crescendo em 2009, sem demissões.
“A redução do spread bancário, no lugar da queda da taxa de juros deveria ser o tema do governo, nos próximos meses. Só com medidas nesse sentido é que o ambiente para os negócios e o desenvolvimento socioeconômico brasileiro se tornará mais favoráveil, em 2010”, disse o presidente da Cebrasse em entrevista à ASN (Agência Sebrae de Notícias), na última quarta-feira, 16.
De acordo com Lofreta, o pior da crise internacional passou, e nos próximos meses o PIB brasileiro voltará a crescer. “O governo tomou as medidas compatíveis com a situação, evitando piores consequências. Quem exporta foi quem sofreu mais com a crise. Os fundamentos econômicos e medidas para proteger a indústria nacional e incentivar o comércio e consumo mantiveram o mercado nacional em movimento. Certamente o otimismo é um bom aliado do desenvolvimento brasileiro e 2010 será um ano melhor. Mas não podemos afrouxar as rédeas”, observou.
O presidente da Cebrasse avalia que o setor de serviços, ao longo do período crítico da crise financeira, não foi tão afetado. “Continuamos crescendo e não demitimos, pelo contrário, contratamos mais pessoas. Não vi crise, com exceção da inadimplência, inclusive do próprio setor público, que afetou toda a economia. As obras do PAC garantiram o movimento para as empresas de serviços. Elas não ficaram paralisadas. O Brasil teve problemas internos, mas soube contorná-los”, disse.
O próximo ano, a ser marcado pelo período eleitoral, representa um ótimo momento de expectativa, em razão da alta demanda de consumo, investimentos em marketing e publicidade, terceirização do serviço de transportes e outros. “Mas não a ponto de super aquecer os negócios do nosso setor e aumentar o PIB. Os serviços são mais absorvidos pelos candidatos e as empresas do setor devem ser beneficiadas. 2010 será um ano melhor para o Brasil. O país está mais robusto e as outras economias melhoraram muito. “Os serviços estão diretamente ligados com a indústria e as exportações, que voltarão a crescer. Junto com o início das obras de preparação do país para sediar a Copa do Mundo 2014 e as eleições, tudo indica que 2010 será muito bom para o nosso setor. O governo é o maior contratante dos serviços, e quando implementa obras, as empresas ganham aumento substancial e contratamos mais trabalhadores. Os governadores vão concluir obras e isso certamente ampliará as boas perspectivas para o próximo ano”, finalizou o presidente da Cebrassa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email