Dólar inverte e fecha a R$ 1,77, alta de 1,08%

O dólar comercial foi negociado a R$ 1,776 para venda, em alta de 1,08%, nas últimas operações de ontem. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado a R$ 1,870 (venda), sem variação sobre a taxa anterior.

O Banco Central entrou no mercado às 14h59 e adquiriu dólares a R$ 1,7615 (taxa de corte). O nível das reservas internacionais atingiu US$ 178,372 bilhões.

A taxa de câmbio permaneceu retraída durante toda a jornada de negócios, subindo somente após as 15h.

Profissionais de corretoras notaram que umas poucas operações de vulto puxaram a cotação nas operações finais de ontem.

Entre as principais notícias do dia, o Federal Reserve e outros quatro bancos centrais anunciaram um conjunto de medidas para evitar as consequências da crise dos créditos “subprime”. O pacote visa aumentar a oferta de recursos disponível para o sistema bancário.

O IBGE anunciou que o PIB brasileiro cresceu ,7% no terceiro trimestre deste ano frente ao trimestre imediatamente anterior, e 5,7% ante o terceiro trimestre do ano passado. Os números estão acima do previsto por analistas do mercado financeiro (projeções de 1,5% e 5,1%, respectivamente).

Juros futuros

O mercado futuro de juros, que baliza as tesourarias dos bancos, elevou as taxas projetadas para 2008, 2009 e 2010. Entre os contratos mais negociados, a taxa projetada para abril de 2008 subiu de 11,25% para 11,26%; no contrato de janeiro de 2009, a taxa projetada passou de 11,74% para 11,82%; no contrato de janeiro de 2010, a taxa projetada avançou de 12,38% para 12,44%.

A primeira prévia do IGP-M apontou inflação de 1,09% em dezembro, o índice mais alto para uma estimativa inicial desde janeiro de 2003. Analistas estimavam variação de 0,90%.

Bovespa fecha em alta

A Bolsa de Valores de São Paulo disparou com o anúncio de um pacote internacional de socorro financeiro, preparado pelo Federal Reserve, junto com outros quatro bancos centrais. O mercado somente perdeu um pouco de fôlego na última hora dos negócios e encerrou o pregão com recuperação moderada.

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa, valorizou 0,36%, aos 64.741 pontos. O volume financeiro foi de R$ 16,13 bilhões, inflado pelo vencimento de opções. Na Europa, as principais Bolsas de Valores fecharam em alta. As Bolsas americanas também mostraram avanço logo após o anúncio do “pacote do Federal Reserve”, mas encerraram em território negativo.

Para corretores, embora os esforços das autoridades sejam benvindos para deter a progressão da crise dos “subprime”, o pacote também passou a impressão de que a situação econômica está pior do que se estimava.

O mercado financeiro já contava com alguma medida adicional das autoridades monetárias.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email