Dívida líquida do setor público sobe para 43,5% do PIB

Dados divulgados pelo Banco Cen-tral indicam que a dívida líquida do setor público em relação ao PIB (Pro-duto Interno Bruto) apresentou uma alta de meio ponto percentual no mês passado, para 43,5% do PIB (Produto Interno Bruto), contra 43% no mês anterior.

Essa dívida totalizava R$ 1,120 trilhão no mês passado.A valorização cambial de setembro foi responsável pela elevação de R$ 13,6 bilhões no endividamento líquido total.
No ano, a relação entre dívi-da e PIB apresenta uma queda de 1,4 ponto percentual -em dezembro de 2006 era 44,9%.
Contribuíram na redução da dívida o superávit primário de R$ 91,223 bilhões dos primeiros nove meses do ano e o efeito do crescimento do PIB. No sentido contrário, tiveram impacto sobre a dívida o pagamento de juros (R$ 103,889 bilhões), o ajuste da apreciação do real frente ao dólar de 14% no acumulado do ano e o ajuste de paridade da cesta de moedas que compõem a dívida externa.

Pagamento de juros

O setor público consolidado (União, Estados, municípios e estatais) pagou mais de R$ 15 bilhões em juros no mês passado. Em setembro, essa despesa totalizou R$ 15,473 bilhões, um crescimento de 40,8% em relação ao mesmo mês de 2006.

Esse pagamento de juros foi parcialmente financiado pelo chamado superávit primário (receitas menos despesas, excluindo gastos com juros) de R$ 3,554 bilhões, valor 22,3% menor que o registrado em setembro de 2006.
O governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) contribuiu com apenas R$ 812 milhões para essa economia. O resultado foi menor que o registrado em meses anteriores porque foi feito no mês passado o pagamento antecipado da primeira parcela do décimo terceiro dos beneficiários da Previdência.

A economia dos governos regionais foi de R$ 1,389 bi-lhão e das estatais, de R$ 1,353 bilhão. Como a despesa foi maior que a receita, o setor público apresentou em setembro um déficit nominal (receitas menos despesas, incluindo gastos com juros) de R$ 11,919 bilhões, alta de 85,8%.

No ano até setembro, a economia do setor público para o pagamento dos juros está em R$ 91,223 bilhões, aumento de 13,3% em relação ao mesmo período de 2006.
O pagamento de juros totalizou entre janeiro e setembro R$ 119,363 bilhões, contra R$ 121,653 bilhões na comparação com os mesmo meses do ano passado. Com isso, a que-da é de 1,9%.

Como as despesas são maiores que as receitas, o setor público possui um déficit nominal de R$ 28,140 bilhões, queda de 31,6%. A meta de superávit para o ano é de R$ 95,89 bi-lhões, o equivalente a cerca de 3,8% do PIB.
Nos 12 meses encerrados em setembro, o superávit primário está em 4,05% (R$ 100,841 bilhões), contra 4,12% em agosto.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email