Consultora Natura viaja para zona rural do Estado para incrementar vendas

Na imensidão da Amazônia, há tipos de negócios para os quais não existem barreiras. É o caso da venda direta, segmento que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado, nos últimos anos. Seja na zona urbana ou na zona rural das cidades, sempre existe alguém que já recebeu a visita de um consultor em sua casa ou conhece alguém que desempenha a atividade. No interior do Estado do Amazonas, moradores das comunidades do Rio Tupana e arredores também já aproveitam ao máximo a comodidade e os produtos de qualidade que a atividade proporciona. Essas comunidades localizam-se nos arredores de Careiro-Castanho, localidade pertencente ao município de Careiro, que fica a 102 quilômetros da capital amazonense.
Desafiador. Assim poderia ser definido o dia-a-dia de um profissional que trabalha com venda direta nessas localidades distantes. Acordar na madrugada para garantir um lugar no barco, para a travessia do rio, e fazer as visitas de rabeta (embarcação regional) pelas comunidades são os principais desafios que a Consultora Natura Raimunda de Jesus Almeida Maciel enfrenta.
A cada quinze dias, Raimunda vai a essas comunidades para levar os produtos da empresa de cosméticos. A prática já faz parte da rotina de vendas da consultora há cinco anos. Perfumes, desodorantes, sabonetes, batons e protetores solares são os principais cosméticos levados pela consultora e vendidos aos ribeirinhos, que são agricultores, professores e funcionários públicos.
“Preciso dedicar uns três dias para completar toda a trajetória de vendas, porque as casas não são próximas umas das outras”, contou Raimunda, que trabalha há oito anos como Consultora Natura.
Geralmente, as viagens da consultora são feitas às segundas-feiras. Ela acorda às 3h45, sai de casa às 4h20, chega ao porto às 5h para garantir a vaga no barco das 6h. Raimunda chega no município do Careiro por volta das 6h30 e aguarda o ônibus das 7h, para sair em direção à localidade de Careiro-Castanho. Lá, a consultora passa o dia, entregando produtos pedidos na viagem anterior e anotando novas solicitações dos clientes.
No dia seguinte, a jornada continua. Raimunda acorda às 7h e, depois de tomar café da manhã, arrumar-se e caminhar até o ponto de ônibus, às 10h já está no coletivo em direção à região do Rio Tupana. A viagem de 68 quilômetros demora aproximadamente duas horas e meia para terminar. “Como é terça-feira, existe muita chance de eu encontrar os clientes na sede da região, porque é dia de feira”, explica a consultora, revelando uma de suas estratégias de vendas.
Feito todo o trabalho corpo-a-corpo, Raimunda volta para Manaus no dia seguinte, levando na bagagem mais pedidos para atender na sua próxima viagem. Os rendimentos obtidos com as vendas diretas nas comunidades ribeirinhas representam cerca de 30% do que a consultora ganha por mês com seu trabalho.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email