Computadores antigos custam mais para empresas

Pesquisa divulgada pela Intel revela que o custo médio de suporte a computadores antigos cresce mais de 30% ao ano e medidas simples poderiam reduzir em até 98% o gasto com segurança e em 50% em energia por meio do desligamento dos computadores, caso eles fossem remotamente gerenciados. A pesquisa utilizou como base um notebook no valor de US$ 1.1 mil e levou em consideração o custo de suporte anual relacionado à atualização de computadores, diagnóstico e conserto do equipamento, isolamento e recuperação de PCs após um incidente de segurança e falhas do disco rígido. De acordo com o diretor do segmento corporativo da Intel Brasil, Maurício Ruiz, ao trocar o equipamento as empresas obtêm um aumento de desempenho em mais de 200% sobre um desktop com três anos de vida. Segundo ele, à medida que os computadores se tornam mais velhos, a sua manutenção fica mais cara e pode comprometer o custo-benefício de propriedade. “Podemos ressaltar que empresas que possuem computadores mais novos com a solução de gerenciamento Intel vPro conseguiram reduzir em 80% as visitas de manutenção de TI. Isso acontece porque a distribuição de ­pat­ches­ de segurança ocorre 42% mais rápido. Antes dessa solução, a ação levava cinco dias para atingir a marca de 98% de distribuição. Atualmente, é possível alcançar essa porcentagem em apenas quatro horas”, afirmou. Ruiz apontou ainda que durante crises financeiras as empresas procuram ser mais efetivas e produtivas com menos viagens e fazendo um maior uso de correio eletrônico, vídeo-conferência e webcasts com o objetivo de aumentar a margem de ganho e produtividade. “Mas não importam os resultados financeiros das companhias, as pressões em TI continuam as mesmas, pois a demanda por tecnologia nunca diminui”, finalizou ele.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email