Cheques sem fundo aumentam nas compras de inverno e viagens

O volume de cheques devolvidos por mil compensados cresceu 9,4% em julho de 2009, na comparação com junho, segundo dados da Serasa Experian. Entre os motivos estão os parcelamentos no Dia dos Namorados, compras de inverno e viagens de férias.
Segundo levantamento, em julho foram devolvidos 22,1 cheques a cada mil compensados, e em junho, 20,2. Ao todo, houve 2,31 milhões de devoluções de cheques em julho, e 104,52 milhões de compensações.
Em junho, foram 2,14 milhões de cheques devolvidos, e 105,96 milhões de compensados. A pesquisa ressalta que o cheque é considerado desprovido de fundos a partir de sua segunda devolução.
O aumento da inadimplência com cheques, para os técnicos da Serasa Experian, deve-se “aos presentes para o Dia dos Namorados, financiados com cheque pré-datado, que tiveram o vencimento da segunda parcela; às compras por causa do inverno mais rigoroso, aos maiores gastos nas férias em viagens domésticas, em detrimento aos destinos para o exterior com incidência de gripe suína, e ao maior número de dias úteis em julho (23), em relação a junho (21)”.
Segundo os analistas, desconsiderando o efeito calendário, foram esses mesmos motivos que fizeram com que o número de cheques devolvidos aumentasse 11% em julho de 2009 na relação sobre julho de 2008. No sétimo mês do ano passado, foram devolvidos 19,9 cheques por mil compensados, com um total de 2,36 milhões de devolvidos, e 118,49 milhões de compensados. Também houve crescimento da inadimplência com cheques no acumulado do ano. De janeiro a julho de 2009, houve uma elevação de 14,5% no volume de cheques devolvidos a cada mil compensados, na comparação com o mesmo período do ano anterior.
Foram devolvidos 22,9 cheques a cada mil compensados nos sete primeiros meses de 2009, e 20,0 em igual acumulado de 2008. Ao todo, foram devolvidos 16,57 milhões de cheques, e compensados 723,21 milhões de janeiro a julho deste ano. Em 2008, no mesmo período foram 16,38 milhões devolvidos, e 820,20 milhões compensados.
Segundo a Serasa, a alta de 14,5% no ano se deve à conjuntura econômica e a condição financeira do consumidor, diferentes entre os períodos.
“Em 2008 o país crescia, com igual desempenho do emprego e da renda e com crédito farto, enquanto em 2009 o cenário é de crise, com a economia fortemente impactada no primeiro trimestre, com crédito escasso e freada brusca na atividade econômica”, afirma. Analistas destacam que a utilização não criteriosa do cheque pré-datado, para financiar o consumo, foi praticada por vários estabelecimentos, para driblar o crédito menor.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email