Casas inteligentes são a novidade

A gigante do setor energético entrou no mundo dos dispositivos inteligentes com a linha de produtos ‘Homix Smart Home’. De início, a Enel X (divisão dedicada às soluções digitais da Enel) irá oferecer dois acessórios do segmento no Brasil: lâmpadas inteligentes e um controle remoto para ar-condicionado.

A ideia da companhia é auxiliar os consumidores no gerenciamento de consumo de energia. O lançamento também marca a entrada da multinacional no mercado nacional de casas inteligentes, nicho que, segundo o Telesíntese, pode crescer 20% ao ano ou mais até 2023.

Quem adquirir os gagdets, poderá controlá-los pelo aplicativo ‘Homix’ ou com a ajuda da assistente virtual Alexa. Juntos, os dois saem pelo preço promocional de R$ 399 através da Enel X Store.

A Homix Lâmpada RGB funciona de forma bastante similar às outras lâmpadas inteligentes de LED. O produto é baseado no protocolo ZigBee de comunicação sem fio, o mesmo adotado por outros dispositivos de IoT (Internet das Coisas).

Já o Homix Controle de Ar-Condicionado, realiza o gerenciamento remoto do ar-condicionado, informando parâmetros como a umidade e regulando a temperatura do ambiente. O dispositivo custa R$ 320.

Segundo a Enel, também será possível programar o controle baseado em rotinas, como, por exemplo, ligar o ar-condicionado ao identificar que o dono está chegando.

Enel firmou parceria 

A TIM, Enel X e Leonardo assinaram um memorando em junho para o desenvolvimento de soluções conjuntas no segmento de cidades inteligentes. O acordo representa a união dos setores de energia, aeroespacial e segurança e de telefonia em prol da criação de cidades integradas.

Com a aliança, as três empresas vão oferecer iniciativas inovadoras para os campos de mobilidade urbana, conectividade, transformação digital, serviços e energia.

Na questão de segurança, por exemplo, é discutida a implantação de sensores para medir o clima e o nível de poluição, além de sistemas de recarga pública para veículos elétricos nas cidades inteligentes.

Já para empresas e edifícios públicos, o acordo reforça a disseminação do conceito de eficiência energética. A ideia é desenvolver soluções de engenharia, de oferta renovável e do uso de plataformas de monitoramento em tempo real para climatização.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email