Brasil terá um novo índice de nível de desemprego

A partir do ano que vem, a taxa de desemprego do país será calculada de uma maneira diferente e divulgada a cada três meses.
Em vez de entrevistar pessoas apenas nas seis regiões metropolitanas mais populosas do país (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre), o IBGE vai ampliar o campo das entrevistas para 3.500 cidades (cerca de 60% dos municípios brasileiros), colocando uma visão mais abrangente da realidade nacional. Nem mesmo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a maior pesquisa feita hoje anualmente pelo instituto), alcança esse universo -vai a 1.100 municípios, visitando 147 mil casas. Para calcular a taxa de desemprego e coletar outras informações sobre o mercado de trabalho, os pesquisadores vão coletar e processar quatro vezes por ano informações de 211 mil lares em um maior número de cidades brasileiras.

Trimestral

A partir do ano que vem, a taxa de desemprego do país será calculada de uma maneira diferente e divulgada a cada três meses.
Em vez de entrevistar pessoas apenas nas seis regiões metropolitanas mais populosas do país (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre), o IBGE vai ampliar o campo das entrevistas para 3.500 cidades (cerca de 60% dos municípios brasileiros).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email