Brasil e China estabelecem cronograma para incrementos

Brasil e China irão diversificar, este ano, a pauta do comércio do agronegócio. A agenda de trabalho foi revista durante visita oficial da delegação brasileira do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), na última semana, sob o comando do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Atualmente, 93% das exportações brasileiras ao país asiático são concentradas no complexo soja.
Durante a visita dos secretários de Defesa Agropecuária, Inácio Kroetz, e de Relações Internacionais do Agronegócio, Célio Porto, foram aprovados modelos de Certificado Sanitário Internacional para Exportação, a exemplo daqueles relativos à carne de aves do Brasil e tripas de ovinos e caprinos da China.
Os países acordaram em implementar algumas medidas de efeito imediato. Vinte e quatro estabelecimentos brasileiros produtores de aves já estão autorizados a exportar carne congelada à China e os primeiros embarques devem acontecer já no próximo mês. Os frigoríficos haviam sido habilitados pela China, desde novembro de 2008, mas nenhum embarque àquele país foi realizado, até o momento, devido a não concessão das licenças de importação. Da mesma forma, estabelecimentos chineses estão igualmente autorizados a exportar tripas de ovinos e caprinos ao Brasil.

Certificado sanitário

O atual modelo de certificado sanitário para a carne bovina deverá ser utilizado até 15 de agosto de 2009. Após esta data, passará a vigorar o certificado sanitário acordado entre as partes, com base no protocolo existente para este produto.
Atualmente, apenas Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rondônia e Acre estão autorizados a exportar carne bovina à China.
No entanto, já está sinalizada a abertura do mercado para os outros estados reconhecidos como áreas livres de febre aftosa pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal na sigla em inglês). São eles Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe, Tocantins e partes do Amazonas e do Pará.
Além disso, China e Brasil acordaram em aprofundar a cooperação técnica em frutas, pintos de um dia, ovos para incubação, produtos lácteos, exportação de carne termoprocessada de aves chinesa, gelatina, carne e couro de equídeos, e registro de estabelecimentos brasileiros exportadores de carne bovina.

Frango para China

Em pouco menos de 30 dias o Brasil deve enviar carne de frango para a China, segundo afirmou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stepha­nes, ao chegar ao 5º Congresso Brasileiro de Soja, em Goiânia (GO), na última terça-feira, 19.
Stephanes recebeu a ­informação do secretário de Defesa Agropecuária, Inácio Kroetz, que ­juntamente com o secretário de Relações ­Internacionais do Agronegócio, Célio Porto, ­integrou a delegação ­brasileira que esteve na China, no último dia 14 de maio.
A China já havia ­habilitado, desde o mês de ­novembro de 2008, 24 ­frigoríficos brasileiros de carne de frango, mas ­nenhum embarque para aquele país asiático foi realizado até o presente momento. Os ­secretários retornaram ao Brasil na última ­quarta-feira, 20.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email