Bancos de fomento vão oferecer R$ 31,5 mi

Os bancos oficiais de fomento presentes na edição da Expoagro deste ano vão disponibilizar R$ 31,5 milhões para financiamentos no setor agropecuário, capital que será disponibilizado para compra de animais e maquinário. Ao todo três instituições financeiras participarão do evento: Basa (Banco da Amazônia S/A), BB (Banco do Brasil) e Afeam (Agência de Fomento do Estado do Amazonas), com estandes específicos para atender os visitantes.
A organização da feira, que será realizada entre os dias 19 e 27 deste mês, espera movimentar R$ 30 milhões em volume de negócios. As taxas de juros variam de 0,5% a 10% ao ano e o valor mínimo para empréstimo é de R$ 250. As empresas divulgaram que o valor máximo muda conforme o tipo de financiamento, não havendo teto médio. A menor taxa de juro é encontrada no BB, flutuando entre 0,5% e 6% ao ano, ou 0,04% e 0,5% por mês.
Na opinião do gerente de DRS (Desenvolvimento Regional Sustentável) e agronegócios do BB, Gilberto Maia, é obrigação do banco oferecer juro abaixo do mercado. “O Banco do Brasil precisa lucrar como toda empresa, mas este não é o nosso principal objetivo que é de oferecer crédito acessível e sem tanta burocracia a todos os setores da economia. Temos quase por obrigação ter uma taxa de juro nesse patamar”, declarou. O banco disponibilizará R$ 20 milhões nesta edição da feira agropecuária e estima receber a visita de 500 produtores rurais.

Bônus de adimplência

O Basa está ofertando R$ 10 milhões neste ano para os profissionais da agropecuária e espera superar a demanda no ano passado. Em 2008, R$ 4 milhões foram contratados, mas a quantia ofertada foi a mesma deste ano. “O estande da Expoagro atenderá somente as pessoas interessadas em adquirir empréstimos para comercialização de equipamentos e animais. Estamos com bônus de adimplência de 15% sobre os juros”, asseverou o superintendente interino, Gilberto Jordan Sandes, sobre a função do banco na Expoagro, posição também lembrada pelos gestores dos outros bancos.
A taxa de juro cobrada pelo Banco da Amazônia é de 5% a 10% anuais, ou 0,41% a 0,83% mensais. Na Afeam existe a menor oferta de crédito para a Expoagro. Será R$ 1,5 milhão, dividindo-se em 70% para compra de animais e 30% para aquisição de maquinários utilizados no campo. A taxa de juro varia de 6% a 10% ao ano, ou 0,5% a 0,83% por mês. O bônus para os clientes que efetuam o pagamento do carnê de financiamento até a data limite é de 25% sobre os juros.

Estratégia é investir no pequeno produtor

“Ainda somos grande importadores da maioria dos alimentos que consumimos e essa é uma realidade que estamos tentando mudar a alguns anos”, declarou o diretor de negócios agropecuários e pesqueiros da ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas), Luis Otávio, sobre a situação atual do setor de agronegócios no Estado. Otávio aposta que o passo inicial para deslanchar a economia do setor primário é o investimento no pequeno produtor rural, a base para o desenvolvimento do segmento de criação de animais e plantio de culturas comerciais.
Para o secretário-executivo do FMPES (Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas), Antônio Carlos Cruz, o setor é bem atendido quanto à oferta de crédito governamental. “As linhas de crédito oferecidas ao agronegócio são plenamente suficientes para atender a demanda de crédito. No caso da Afeam, com o bônus de adimplência de 25%, a taxa de juro é reduzida para 4,5% ao ano ou 0,37% ao mês”, afirmou Cruz. O FMPES é operacionalizado pela agência estadual de fomento e de acordo com o secretário-executivo, 60% dos recursos do fundo são destinados exclusivamente para atender os pequenos produtos rurais do interior do Estado.
O diretor de negócios agropecuários e pesqueiros da ADS disse ainda que 95% da agricultura praticada no Amazonas é de caráter familiar e, portanto, não atende à demanda comercial local, sendo necessário importar de outras regiões do Brasil. “O alto preço dos produtos vegetais encontrados em Manaus, por exemplo, é reflexo do custo do frete e outros gastos com o compra dos alimentos de outros Estados. Algumas frutas e legumes têm 45% do seu preço inflado por conta disso”, lamentou Otávio.

Crédito rural

A Expoagro de 2008 movimentou R$ 24,5 milhões em volume de negócios, recebeu 450 mil visitantes e empregou 3,5 mil pessoas. Em relação ao crédito rural, as três instituições financeiras citadas firmaram contratos de financiamento no valor de R$ 15 milhões. De acordo com o coordenador da feira, Miguel Pacheco, a organização do evento, executada pela Sepror (Secretaria de Estado da Produção Rural do Amazonas), espera atrair 600 mil pessoas e gerar, no mínimo, R$ 30 milhões em volume de negócios, superando em 18,33% a marca anterior. A Expoagro ocorrerá no Parque Angelino Beviláqua, na avenida Torquato Tapajós, zona norte, entre os dias 19 e 27 de setembro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email