Atividade cresce no interior de Minas como geração de trabalho e renda

Em Minas, as belezas naturais compõem ótimos cenários para a prática do turismo de aventura. Todos os anos, empresários do setor investem no segmento, que vem atraindo um grande número de visitantes. Nesta semana, o potencial do Estado será representado por quatro circuitos turísticos que serão mostrados na maior feira de turismo de aventura do Brasil –a Adventure Sports Fair. O evento será realizado em São Paulo a partir desta quarta-feira até domingo (26).
O Circuito do Ibitipoca é um dos que serão apresentados na feira. Formado por seis cidades, o destino se destaca pelo Parque Estadual do Ibitipoca, localizado no sudeste de Minas Gerais.
Cachoeiras de águas geladas e escuras e grutas dos mais diversos tamanhos são alguns dos atrativos naturais que conquistaram o empresário Antônio Cézar de Souza, de 44 anos.
Há 14 anos o agente de seguros abandonou a vida agitada em São Paulo e resolveu investir no município de Conceição do Ibitipoca onde montou a Pousada Janela do Céu. “Descobri a cidade depois que fiz uma trilha, e me encantei. No começo era conhecido como paulista maluco, porque estava investindo num lugar muito afastado. Depois de muito trabalho, o maluco virou visionário”, contou Antônio Cézar.

Esportes radicais

De acordo com o empresário, o turismo de aventura e o ecoturismo são os principais atrativos de vários roteiros da região. Mountain bike, rapel, asa-delta e trekking são os mais procurados pelos adeptos dos esportes. O negócio vem crescendo e estimulando a geração de renda.
“Em 1993, o parque registrou a entrada de cerca de 3.000 turistas. Em 1999, este número subiu para 90 mil pessoas/ano. Em Conceição do Ibitipoca, cerca de 80% da população vive direta e indiretamente das atividades turísticas”, lembrou o empresário, que também é presidente do circuito.
No ano passado, com o apoio do Sebrae Minas, foi criado o roteiro Abraço ao Parque. No trecho, situado em torno do parque, é praticado o trekking, um tipo de caminhada por trilhas naturais, onde os aventureiros percorrem cerca de 64 quilômetros em aproximadamente cinco dias.
“Trabalhamos para a formalização da atividade turística, geração de trabalho e renda para a circulação das riquezas e desenvolvimento das localidades. Também sensibilizamos e orientamos as comunidades sobre a importância desse tipo de atividade”, explicou o técnico do Sebrae Minas em Juiz de Fora, Gustavo Magalhães.

Circuitos referenciais

Os circuitos do Ouro, Serra do Cipó e Canastra, referências em turismo de aventura no Estado de Minas, também poderão ser conhecidos no Adventure Sport Fair. Durante o evento, roteiros e atividades turísticas dos destinos serão divulgados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email