Assassinato de Bezanir Bhutto foi obra da Al Qaeda, conclui CIA

Em entrevista, o diretor da CIA, Michael Hayden, afirmou que Bhutto foi morta por combatentes aliados a Mehsud, líder tribal no noroeste do Paquistão

A CIA (agência de inteligência americana) concluiu que membros da Al Qaeda e aliados do líder terrorista paquistanês Baitullah Mehsud foram os responsáveis pelo assassinato da ex-premiê e líder opositora do Paquistão, Benazir Bhutto, informou reportagem do jornal “Washington Post” publicada na sexta-feira.

Em entrevista, o diretor da CIA, Michael Hayden, afirmou que Bhutto foi morta por combatentes aliados a Mehsud, líder tribal no noroeste do Paquistão, com o apoio da Al Qaeda.

O relatório da agência corrobora a versão do governo do ditador paquistanês, Pervez Musharraf, que se apressou a atribuir o atentado contra a ex-premiê à rede terrorista logo após o episódio.

Segundo Hayden, a Al Qaeda e Mehsud também estão por trás da onda de violência que se espalhou pelo país depois do assassinato de Bhutto. “O que você vê agora, eu penso, é uma mudança no caráter dos acontecimentos. Esse nexo provavelmente já existia, mas em estado de latência.

Agora, porém, está ativo: um nexo entre a Al Qaeda e vários grupos extremistas”, afirmou Hayden.

“Está claro que a intenção desses grupos é continuar o trabalho para prejudicar o Paquistão”, acrescentou.

Dias depois da morte de Bhutto, na cidade de Rawalpindi, oficiais paquistaneses interceptaram uma conversa entre Mehsud e seus apoiadores, no qual o líder tribal exaltava o assassinato da ex-premiê. De acordo com as autoridades, ele aparentemente assumia o crédito pelo atentado.
Setores da oposição paquistanesa e a família de Bhutto sugeriram que o governo paquistanês participou da conspiração para assassiná-la.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email