1 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Aquicultura terá agenda entre industriários

Cadeia produtiva da pesca e eficiência da comercialização serão debatidos pelo setor industrial

Nos dias 27 a 30 de novembro, acontece a quinta edição do ENAq (Encontro de Negócios da Aquicultura da Amazônia) como parte da programação da 7ª Fiam (Feira Internacional da Amazônia), no auditório do Comfort Hotel, localizado no Distrito Industrial 1.
O ENAq reúne representantes de instituições de ensino, pesquisa, extensão, setor produtivo, indústria, empresas de comercialização e governo para debater o futuro da aquicultura –atividade voltada à criação de organismos aquáticos –na Amazônia e seu papel estratégico como opção para diversificação da produção, geração de emprego e renda e interiorização do desenvolvimento.
A principal atividade do ENAq será o “Seminário da Aquicultura da Amazônia: Produção de Alimentos com Competitividade e Tecnologia Limpa”, composto por nove painéis temáticos, nos quais serão apresentados e discutidos os principais aspectos relacionados à cadeia produtiva da aquicultura na Amazônia e no país, como processamento do pescado, boas práticas de manejo, questões sanitárias e de biossegurança, técnicas para minimização de impactos ambientais, sistema de produção e comercialização. A programação do evento prevê, ainda, reunião dos superintendentes do MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura) com os secretários estaduais de Pesca e Aquicultura da Amazônia Legal, no dia 27.
O primeiro painel do evento, intitulado “Políticas Públicas para o Desenvolvimento da Aquicultura”, terá a participação do ministro do MPA, Marcelo Crivella, que apresentará a palestra “Política para o Desenvolvimento da Pesca e Aquicultura no Brasil”.
Já o último painel, previsto para ocorrer no dia 30 de novembro, deverá elaborar a “2ª Carta da Aquicultura na Amazônia”, documento que encaminhará diretrizes prioritárias para o fortalecimento da aquicultura na região.
Organizado pelo governo do Amazonas, por meio do sistema integrado da Sepror (Secretaria de Estado da Produção Rural), MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação), MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), ABRAq (Associação Brasileira de Aquicultura), Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), e órgãos como Basa (Banco da Amazônia), Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Banco do Brasil, Ufam (Universidade Federal do Amazonas), Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) e Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email