APLICAÇÕES – Ideal é ficar atento ao cenário

Juros baixos e inflação alta, esse é o cenário econômico no país, mas será que ele está propício para quem deseja investir o seu dinheiro? Em entrevista ao Jornal do Commercio, o economista e sócio da Ação Investimentos, Luiz Bacellar, explica que há sim opções interessantes hoje no mercado, de acordo com o perfil e objetivo de cada investidor. “O ideal é operar segundo o cenário, mas sempre lembrando que ele não é estático, portanto busque sempre notícias para saber como ele está se comportando”, destaca.
Bacellar conta que Manaus é uma das cidades mais ricas do país, no entanto, a população não possui a cultura de investir o seu capital. “A maioria diz acreditar que comprar um imóvel é uma boa alternativa, mas não é, pois, com a atual economia investir no mercado financeiro acaba se tornando uma aplicação mais rentável”, revelou o economista.
Ele aconselha que o ideal é o investidor buscar estudar sobre o mercado, avaliar o cenário econômico e usar isso para o próximo semestre ou trimestre para a sua carteira de investimento. “O perfil do manauara que investe é aquele que está pensando no futuro, e apesar de não ter um objetivo muito claro, acaba pegando gosto e pensando em ter mais dinheiro quando se aposentar mais à frente”, comenta o diretor da Ação Investimentos.
Segundo ele, as perspectivas para 2013 é que o governo federal não volte a mexer nos juros, porque a inflação já está elevada. “Se baixarem mais ainda os juros a tendência é que o índice de inflação fique mais elevado”, ressalta o porta-voz, que explica que por conta disso, a poupança atualmente não é mais uma boa opção para investimento, pois com as mudanças realizadas no ano passado ela não rende mais como antes.
Desde maio, a poupança passou a ser calculada sobre 70% da taxa básica de juros Selic, mais a taxa referencial. Com uma Selic a 7,25%, a poupança atualmente está perdendo para a inflação, que está na base de 5,5% ao ano. A única vantagem desse investimento continua sendo o fato de ela ser isenta de imposto de renda.

Opções do mercado
em 2013
O economista afirma que entre as opções que devem se destacar este ano serão: a Bolsa de Valores, os fundos imobiliários, tesouro direto e os fundos de investimento multimercado. “Acreditamos que em 2013 a Bolsa volte a subir, o investimento pode ser interessante, mas é claro que eu não vou pegar 100% do meu capital e jogar na Bolsa, o ideal é 10% a 30% apenas, e apostando em empresas do setor de consumo e infraestrutura”, indica Luiz.
Quanto aos fundos imobiliários, Bacellar comenta que ele recentemente se tornou uma boa opção de aplicação por conta da rentabilidade e segurança que o investimento pode proporcionar. “Eu pego o dinheiro de vários investidores, coloco em um fundo e compro determinado imóvel com um contrato de aluguel por trás. Por que é interessante? Porque não paga Imposto de Renda, recebe todo mês o aluguel e se o empreendimento valorizar o investidor ganha mais ainda”, informa o economista.
Outra opção é o tesouro direto, onde o investidor tem um custo de 0,4% ao ano para comprar o titulo público. Ele poderá adquirir um LFT (Letras Financeiras do Tesouro), que são títulos públicos mais conservadores, indexados à Selic e facilmente comparáveis à caderneta de poupança em segurança e liquidez. Ou então, o LTN (Letras do Tesouro Nacional), que a taxa de juros paga no vencimento já é conhecida no momento da compra.
E os fundos de investimento multimercado aparecem também como uma opção excelente para o investidor que deseja movimentar o seu dinheiro de acordo com o cenário macroeconômico. “Neste, ele coloca o dinheiro dele em vários mercados diferentes e se o cenário for de juros baixos ele vai apostar mais, se for de Bolsa subindo ele vai apostar na Bolsa”, disse Luiz, que aponta que existem categorias de multimercados que não são de alto risco e que podem trazer um retorno maior.

POR DENTRO – Investidores têm ganhos promissores

Investidores que aplicaram nas carteiras dos Índices de Consumo (ICON), de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) e de Small Cap (SMLL) tiveram ganhos bastante promissores em 2012. Segundo a BM&F Bovespa, esses foram os mais rentáveis do ano passado, com taxas de 40,44%, 35,04% e 28,66%, respectivamente. O bom momento vivido pelo mercado imobiliário e o impacto da crise econômica nas commodities são as principais razões para a alta lucratividade desses índices. O desempenho do IFIX nos últimos anos já era de crescimento significativo. O cenário atual traduz não só a expansão de um mercado até então desconhecido no Brasil, mas também da própria economia do país, com aumento de renda e baixo nível de desemprego.

SERVIÇO

O quê?
Ação Investimento

Onde?
Rua Rio Iça, 480 – Vieiralves, no Edifício Celebration Smart Offices

Contato
(92) 3305- 1500
http://www.acaoi.com.br/

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email