Amazonas e Acre têm menor crescimento da região Norte

Amazonas e Acre foram os estados da Região Norte que apresentaram os menores crescimentos no volume de vendas no comércio varejista na comparação de abril de 2010 com igual mês do ano passado, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Dados do órgão divulgados ontem apontam incremento de 0,6% para as duas unidades federativas, com ajuste sazonal. No resto do país, o setor avançou 9,1%.
Coube a Rondônia o melhor resultado da região (3,5%), seguido por Roraima (1,2%). Todas as 27 unidades da federação registraram crescimento na comparação entre abril de 2010 e o mesmo mês do ano anterior, sendo que as principais altas foram verificadas em Tocantins (47,4%), Roraima (36,0%) e Acre (27,8%).
Em relação ao mês anterior, contudo, o comércio varejista nacional desacelerou em abril, com queda de 3% no volume de vendas, apesar da alta de 0,3% na receita nominal. Conforme o IBGE, enquanto a receita nominal se manteve estável, o volume de vendas teve resultado negativo após um trimestre de crescimento.
Segundo o presidente da CDL-Manaus (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), Ezra Azury, o resultado da pesquisa mostra que as variáveis importantes para o comércio continuam positivas, e que os dados negativos devem ser interpretados tendo em conta que março que foi um mês atípico, já que foi inflado pelo movimento causado pelos últimos dias de validade do incentivo de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para diversos segmentos, em especial o de veículos novos.
Por conta disso, os segmentos que obtiveram maior crescimento no período foram os de veículos e de materiais de construção, ao passo que os piores resultados vieram dos setores de jóias e semi-jóias. “O mercado interno respondeu à crise e vai responder ainda mais ao crescimento da economia. Se a massa salarial e a oferta de crédito continuarem crescendo, o comércio varejista têm tudo para acompanhar essa alta”, declarou.

Liquida Manaus

Já o presidente da FCDL/AM (Federação das Câmeras de Dirigentes Lojistas do Estado do Amazonas), Ralph Assayg, considera que os dados do IBGE precisam ser reavaliados à luz do desempenho do comércio regional. “O setor está muito bem. No período em que foi feita a pesquisa tivemos o Liquida Manaus, que é uma iniciativa para alavancar as vendas no comércio no período posterior às festas de fim de ano. Tivemos saldo bastante positivo, com 35% de aumento nas vendas”, asseverou.
Assayg destacou que os meses de maio e junho são sempre meses de alto consumo, e que o comércio varejista de Manaus consegue obter grandes resultados em seu crescimento, por conta de datas como Dia das mães e Dia dos namorados. “Para se ter uma idéia, o crescimento acumulado até maio chegou a 6,4% com relação ao mesmo período do ano passado, um fator bastante positivo. Tudo indica que o fechamento do primeiro semestre será muito bom”, garantiu.
O presidente da FCDL/AM acrescentou que as perspectivas são positivas para os próximos meses. “O advento da Copa, as obras em andamento e as que ainda estão por vir, incluindo novos shopings centers em instalação na cidade, deixam os lojistas bastante otimistas em relação ao crescimento e o futuro do comércio varejista em Manaus”, finalizou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email