Com todas as facilidades para se abrirem os alimentos orgânicos representam um mercado em expansão (previsão de R$ 2 bi para 2014), mas seu modo alternativo de produção, que demanda altos custos e que se refletem nos preços praticados, costuma vincular esses produtos à classes mais altas.
Aos poucos, os orgânicos vêm ganhando espaços mais populares, ofertando ao público em geral, alimentos com melhor qualidade, livre de agrotóxicos e outras substâncias, criando uma cultura de consumo mais saudável, privilegiando alimentos mais frescos do que os comercializados em grande escala e aumentando a renda de pequenos produtores que apostam neste nicho de mercado.

Amazonas descobre o mercado
O setor produtivo comemora este novo avanço e a intenção do pequeno produtor de ingressar nesse mercado, como explica o presidente da Faea (Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas) Muni Lourenço “temos este grande nicho que proporciona uma renda maior e bastante atrativa. Uma parte do mercado consumidor tem maior poder aquisitivo e está disposto a pagar por estes produtos, mesmo que mais caros que os tradicionais.”
A burocracia e altos custos ainda são entraves para elevar a produção e ações já estão sendo tomadas, junto aos produtores.
“As certificações são necessárias para a inclusão do pequeno produtor no mercado, pois os compradores exigem isso, para validar e gerar confiança no consumidor. Para driblar a burocracia, está em projeto a união de prefeituras e órgãos públicos de fiscalização para as certificações serem feitas no próprio Estado,” comenta Lourenço.
O presidente da Faea lembra que uma melhor capacitação, acarretaria em maior produção, fazendo com que o agricultor tome o mercado ainda restrito aos regionais “o cultivo de orgânicos demanda treinamento e conhecimento técnico. Com o tempo esperamos ter auto-suficiência de mercado, acabando com a dependência de exportações. Acreditamos que isto ocorra em breve. Os orgânicos não irão superar os alimentos convencionais, por estes serem mais escaláveis e atingirem o mercado de forma massiva, mas é importante que o agricultor enxergue as novas possibilidades de mercado.”

Orgânicos na Copa 2014
O MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) publicou no último dia 16, no “Diário Oficial da União”, portaria que cria a Campanha Brasil Orgânico e Sustentável para a Copa do Mundo de 2014.
Um dos objetivos da campanha é incentivar a comercialização e o consumo de produtos orgânicos e da agricultura familiar antes, durante e após o evento esportivo. Manaus terá seu quiosque de orgânicos funcionando entre os dias 12 e 18 de junho e mesmo estando aberto para interessados de todo Brasil, a expectativa é de que haja grande adesão dos produtores locais “esperamos que os espaços sejam tomados por agricultores amazonenses, aproveitando o evento para se firmarem no mercado, já que as ações do MDS irão valer até 2016,” fecha Lourenço.
O MDS disponibilizou uma chamada pública (ver:http://www.planetaorganico.com.br) direcionada a empreendimentos da agricultura familiar que tenham a intenção de comercializar seus produtos nos quiosques do Brasil Orgânico e Sustentável. Os interessados têm até o dia 26 de janeiro para enviarem suas propostas.

Produtos em locais populares
Abertura de pontos de vendas mais populares vem crescendo em todo o país e não é diferente em Manaus. Como bom exemplo, desde 2010 a Prefeitura Municipal de Manaus e a Sempab (Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento) promovem semanalmente a Feira de Alimentos Orgânicos. Os alimentos vendidos na feira são atestados como orgânicos pela Superintendência Federal de Agricultura.
Outras feiras acontecem, realizadas por diversos setores e entidades, como é o caso da ‘AgroUfam 2014: Feira da Produção Familiar’ que acontece ocorre pela primeira vez no campus da Universidade nos dias 23 e 24 de janeiro, das 8 às 18h, na Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Bloco 1, Setor Sul.
Na AgroUfam, produtores agrícolas dos municípios de Careiro da Várzea, Iranduba, Urucurituba, Manacapuru, Itacoatiara e do entorno de Manaus, como os das Associações dos Produtores do Brasileirinho, Apoam (Associação dos Produtores Orgânicos do Amazonas) e do Ramal do Pau Rosa terão a oportunidade de expor suas produções e comercializá-las.

O que são orgânicos?
Os alimentos orgânicos são aqueles que utilizam, em todos seus processos de produção, técnicas que respeitam o meio ambiente e visam a qualidade do alimento. Desta forma, não são usados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto que possa vir a causar algum dano a saúde dos consumidores.
Na agricultura, por exemplo, utiliza-se apenas sistemas naturais para combater pragas e fertilizar o solo. Também são mais saborosos.

Carne Orgânica e ovos orgânicos
No tocante à produção de carnes e ovos, os animais são criados sem a aplicação de antibóticos, hormônios e anabolizantes. Pesquisas demonstram que estes produtos podem provocar doenças nos seres humanos, quando consumidos por muito tempo. Logo, as carnes e ovos orgânicos são muito mais saudáveis.

Desvantagem
A única desvantagem é que são mais caros do que os convencionais, pois são produzidos em menor escala e os custos de produção também são maiores.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email