Agricultores familiares podem se proteger contra fenômeno La Niña

Os agricultores familiares da região Centro-Sul do País (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul) poderão ser afetados pelo fenômeno climático La Niña na safra que está sendo plantada.
“Estes agricultores podem tomar medidas preventivas que ajudam a evitar perdas contra a seca”. É o que orienta o coordenador-geral do Seguro da Agricultura Familiar (SEAF) da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), José Carlos Zukowski. “Ainda não é possível prever a intensidade do próximo La Niña, mas há o risco de que o verão seja bem mais seco, afetando muito a agricultura”.
Ele explica que os estudos climáticos preveem para este ano agrícola a ocorrência do fenômeno La Niña, onde o resfriamento das águas do oceano Pacífico acaba desviando e concentrando as chuvas mais ao norte. No Centro-Sul do Brasil, como consequência do La Niña, ocorrem frentes frias com mais força, mas sua passagem é mais rápida que o normal, não acumulando muita chuva. O índice pluviométrico cai muito, principalmente nos meses de setembro a fevereiro, gerando períodos de estiagem. Além disso, o inverno tende a chegar antes e já em outono grandes quedas de temperatura poderão ser registradas.
Segundo o coordenador, entre as ações preventivas estão o manejo adequado do solo, de forma que possibilite maior retenção de água, principalmente o uso de cobertura vegetal morta (palhada). “O agricultor também pode optar por culturas ou variedades mais tolerantes à deficiência hídrica. É recomendável procurar a assistência técnica para receber essa orientação”, destaca Zukowski.
Além disso, Zukowski ressalta que é preciso se proteger por meio de um seguro rural. Para isso, o Seguro da Agricultura Familiar oferece duas modalidades de cobertura contra eventos climáticos: o SEAF Custeio e o SEAF Investimento. Este último, começou na atual safra (2010/2011) e oferece cobertura de renda para pagamento das prestações de operações de investimento do Pronaf.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email